Futebol do Povo

Clubes precisam salvar o campeonato cearense

1983 40

Discordo de quem pensa que os estaduais têm que acabar. Entendo que eles precisam ser salvos. São competições que guardam importância do título, rivalidade, história e cabem no calendário, especialmente de clubes que têm poucas chances de títulos nacionais. Ocorre que a decadência da competição cearense é chocante, especialmente porque ninguém que tem o poder de decisão faz alguma coisa relevante.

Responsáveis pela escolha do regulamento, os clubes que disputam o estadual têm uma missão fundamental pela frente nesta temporada: tirar a competição do marasmo a partir do ano que vem, quando será possível mudar tudo. Depender da Federação – que é o braço local da CBF – que gosta de agradar a todos no papel, mas só pensa nela, não é o melhor método. 

Neste cenário, dirigentes de Fortaleza e Ceará são tão culpados quanto a FCF. Os dois principais clubes se mostram incapazes de tomar decisões para que o campeonato gere interesse do torcedor de forma perene. Pode ser por incompetência, por falta de talento, criatividade, inteligência para unir forças ou até vontade, mas a situação está claramente insustentável.

Números atualizados nesta terça-feira pelo portal www.esportes.opovo.com.br mostram que a média atual, já na reta final da competição 2016, é de 1606 torcedores por partida. É a pior pelo menos desde 2009. quando a Federação passou a divulgar os dados. A arrecadação geral é pífia também, somando pouco mais de um milhão de reais em todos as partidas já realizadas (mais de 50).

Entender a situação não é difícil: excesso de partidas que pouco valem,  brigas no tapetão, violência, tabelas mal feitas, arbitragens problemáticas, gramados em condições precárias e baixo nível técnico dos jogos. Não está nada boa a coisa. 

Assim, que o torcedor não seja enganado: são os clubes os responsáveis pelo cenário lamentável atual.  São os clubes os responsáveis se nada mudar.

 

Recomendado para você