Futebol do Povo

Há cinco jogos sem perder na Série B, Ceará administra postos de mandante eficiente e visitante esforçado

2365 55

Por André Victor Rodrigues

Na noite da última terça-feira, o Ceará arrancou empate do Bragantino por 1 a 1 em Bragança Paulista, no estádio Nabi Abi Chedid. Os alvinegros do Vovô demonstraram uma quebra na crescente de atuações que emplacaram nas duas rodadas anteriores, apresentando um futebol mais modesto fora do Castelão. Perderam a vice-liderança, mas os 24 pontos garantiram ao time permanência no G-4 da Série B do Campeonato Brasileiro, em terceiro colocado na tabela.

Apesar do rendimento abaixo da média, para a equipe do técnico Sérgio Soares pontuar fora de casa foi resultado satisfatório dentro de uma Segundona que ainda reservará muito equilíbrio pela frente. Agora são cinco partidas do Ceará sem perder na competição, e com uma rotina bem definida ao longo dessa trajetória de ascensão ao grupo dos quatro aspirantes ao acesso à elite: o time de Porangabuçu tem sido um mandante eficiente e um visitante esforçado. Uma dualidade que, até aqui, inspira e dá confiança aos alvinegros nas pretensões de permanecer no topo da classificação.

Foram três vitórias atuando como mandante no Castelão – 3 a 0 contra o Brasil, 1 a 0 contra o Oeste e 2 a 1 contra o Náutico. Fora do estádio cearense, o Vovô conquistou dois empates fora de casa – 1 a 1 com Joinville e 1 a 1 com Bragantino – que significaram pontos cruciais para o clube hoje estar a três pontos de distância do primeiro time fora do G-4 (Náutico, com 21 pontos somados).

A diferença de postura da equipe como mandante e visitante é bem clara. Diante do seu torcedor, o Ceará evolui na construção do jogo mais sólido taticamente. A articulação ofensiva e o poder de marcação surgem mais bem definidos e envolvem a equipe adversária. Foi assim que, por exemplo, o time triunfou sobre a posse de bola do Oeste comandado por Fernando Diniz. Sérgio Soares, dentro de seu terreno, parece mais tranquilo para tomar decisões acertadas nas substituições e desenhar possibilidades eficazes do time se impor.

Como visitante, caso da última terça-feira contra o Bragantino, o Alvinegro de Porangabuçu cai mais no jogo truncado e calcado na correria. Os lances de perigo diminuem com uma linha de frente mais econômica e que, por precaução ou falta de atitude, peca no último toque quando agride os anfitriões. Triunfou em lance de gol contra e pouco contou com a competência dos atacantes. O Ceará também se torna mais vulnerável, exigindo mais das defesas competentes de Éverson para afastar as chances de derrota. Longe do Castelão, Sérgio Soares ousou menos nas substituições e se preocupa mais em evitar o pior.

É evidente que o Vovô precisará buscar evolução na sua maneira de encarar os jogos fora de casa. Até agora os empates foram de ajuda. Apoio no contexto atual das rodadas da Série B. Mas chegará um momento que ter mais vitórias no papel de visitante farão a diferença e darão tranquilidade necessária para permanecer no G-4. E também tornará menor o prejuízo de ocasionais tropeços no Castelão.

O Ceará volta a campo no próximo sábado, 2, às 19h30min, no Castelão, quando enfrenta o Bahia. Em 7º colocado, o tricolor baiano ganhou apenas uma partida nos últimos cinco jogos (perdeu outras quatro) e acumula 20 pontos na tabela. Momento oportuno para o Vovô voltar a somar três pontos usando seu histórico recente como mandante a favor.

Recomendado para você