Futebol do Povo

Fortaleza incha elenco e, neste aspecto, repete equívoco de 2016

81 38

Pressionado pela torcida, até com boa dose de exagero, em função do futebol instável apresentado no começo desta temporada (torcedor só apoiou na vitória sobre o Ceará), o Fortaleza vai anunciar seis, sete ou oito contratações em breve, praticamente para todos os setores do campo.

Dos atuais 29 jogadores, o elenco deve subir para 35, 36 ou 37 atletas, mesmo parâmetro que terminou a temporada passada, situação que denota uma preferência por quantidade e não qualidade. Mais ainda: mostra que a formação inicial do elenco, de forma precoce, não agradou e é inferior ao do ano passado, um parâmetro importante a se considerar.

As possibilidades financeiras e o fato do Fortaleza disputar a Série C formam uma combinação que dificulta a contratação de jogadores mais relevantes. É possível compreender, mas nem sempre a torcida consegue. Também em função de tais aspectos – além da necessidade de começar um trabalho do zero após decepções por não conseguir chegar até a Série B – os atuais comandantes do futebol tricolor optaram por um grupo mais raçudo e brigador do que propriamente mais técnico. Já escrevi sobre isso aqui..

Assim, com um elenco inchado, lógico que a folha de pagamento vai aumentar. Além disso, Hemerson Maria, treinador que também está sob desconfiança das arquibancadas, mas parece, pelo menos por enquanto, ter a justa confiança da diretoria, não vai conseguir usar tantas opções, inclusive porque os atletas são de características semelhantes. Ele precisa de variação.

O cenário, portanto, merece atenção. Nada está perdido, é injusto uma cobrança excessiva ainda em janeiro, começo de fevereiro. No Pici, entretanto, ninguém esconde que a formação do grupo visa o acesso, mas antes da Série C, por mais óbvio que possa parecer, há o Campeonato Cearense, a Copa do Nordeste  e o início da Copa do Brasil. O ano não começa na primeira rodada do Campeonato Brasileiro.

Recomendado para você