Futebol do Povo

Ceará 1×0 Tiradentes: vitória, vaias, redenção e preocupação

207 9
Em quatro jogos no estadual, três vitórias. Nesta quarta, o Ceará bateu o Tiradentes por 1 a 0, gol de Rafael Costa. O atacante encerrou um jejum de sete meses sem balançar as redes (desde o dia 2 de julho, contra o Bahia) mas também se tornou uma grande preocupação para o Alvinegro, já que aos 43 minutos do primeiro tempo, em um lance que foi ajudar na marcação, tropeçou sozinho, travou o joelho direito e saiu chorando do gramado. Nesta quinta um exame de imagem será realizado para se conhecer a gravidade da contusão. Lamentável demais caso a gravidade seja como pareceu. Que a notícia não seja ruim para o atleta.
O primeiro lance de perigo da partida, aos quatro minutos, foi do Tiradentes. Valdir Papel ganhou do zagueiro Sandro e por pouco não abriu o placar. O atacante, inclusive, perderia mais três chances para marcar.  O gol do Ceará saiu aos 12 minutos. Rafael Costa aproveitou bola espirrada e, em posição legal, matou no peito e chutou firme no canto direito do goleiro.
Com a vantagem, o Ceará poderia ter aproveitado os espaços concedidos pelo Tiradentes para impor um jogo mais intenso, mas não o fez, irritando o técnico Gilmar Dal Pozzo, que orientava seus atletas o tempo todo. Ainda assim, em duas oportunidades a equipe poderia ter ampliado. Aos 23 minutos, Felipe Menezes (muito vaiado) bateu falta na trave e aos 42, Matheus Trindade cabeceou com muito perigo.
Na segunda etapa, já com Magno Alves na vaga de Rafael Costa e Felipe Tontini no lugar de um apagado Douglas Baggio, o Ceará viu um Tiradentes tentando o empate com insistência. Valdir Papel perdeu grande chance antes do primeiro minuto. Os comandados de Sérgio Alves seguiam ocupando seu campo ofensivo aproveitando a marcação ruim do Alvinegro no meio-campo, mas pecavam nas finalizações.
O Ceará, que via sua torcida impaciente nas arquibancadas, só foi assustar aos 19 minutos, em chute cruzado e perigoso de Magno Alves. A partir deste momento, ainda que sem criar chances agudas, o time passou a ter mais controle do jogo, muito em função da boa presença de Tontini, que deu mais dinamismo ao meio-campo. Como o Tiradentes perdeu seu ímpeto, a partida se arrastou até o fim sem grandes emoções e terminou sob vaias da torcida alvinegra, insatisfeita com o futebol ruim apresentado. No sábado, o Ceará encara o Ferroviário e o Tiradentes enfrenta o Horizonte.

Recomendado para você