GIRO LUSÓFONO

Dicas de português. Professor trata de erros comuns como “zero horas” e “meio dia e meio”

746 1

Quando se trata de hora, surgem naturais dúvidas em relação à nossa Língua. Não são raros os registros “zero horas”, “são uma e meia”, “meio-dia e meio” etc. Para ajudar a eliminar as dúvidas, Diogo Arrais, professor de Língua Portuguesa para concursos, pelo Centro Preparatório Jurídico (CPJUR), e autor gramatical pela Editora Saraiva, explica como grafar corretamente essas e outras expressões.

A palavra “zero” remete apenas ao singular; “zero” é “nada”. Assim sendo: “zero hora”, “zero grau”, “é zero hora”.

Para o professor, “causa friagem gramatical” a frase: “No Sul, faz zero ‘graus’.” O correto, segundo ele, é “Faz zero grau”.

Em se tratando de Gramática Normativa, o plural, em enumerações, só será obtido com números de “dois” em diante; com 1,5, por exemplo, a concordância exige apenas o singular. Sendo assim, pontualmente, é uma e meia; é meio-dia e meia.

Diogo Arrais destaca o estudo de números e determinações, que usam o mesmo raciocínio comentado acima:

“No Brasil, 1%, infelizmente, acredita na paz.”

“Na Argentina, 2% acreditam no plano econômico.”

Com determinante, no entanto, passa-se a observar a determinação:

“No Brasil, 90% do público crê em estagnação econômica.”

No último exemplo, o verbo está no singular, em função de o determinante, “do público”, estar no singular. Contudo, se houver determinante no plural fica da seguinte forma:

“No Brasil, 90% das pessoas creem em estagnação econômica.”

Recomendado para você