GIRO LUSÓFONO

Obras de poesia lideram inscrições no Oceanos 2018

Ao todo, 1.364 obras foram registradas este ano. Foto: freepik

Este ano, o Prêmio de Literatura em Língua Portuguesa Oceanos recebeu a inscrição de 576 títulos de obras de poesia, o que corresponde a 42% do total. Ao todo, 1.364 obras foram registradas, 149 a mais em relação à edição de 2017 (1.215 inscrições).

Em segundo lugar em números de registros ficaram as obras de romance, com 483 títulos (35%). Os livros de contos, com 206 inscrições (15%), ficaram na terceira posição. As crônicas conquistaram quarta colocação, com 78 títulos (5%) e as obras de dramaturgia a quinta, com 21 registros (1,5%).

O outro destaque desta edição está relacionado ao número de inscrições de obras de países africanos, ao todo foram 37, sendo 22 de Moçambique, 11 de Cabo Verde e 4 de Angola. No ano passado, editoras africanas inscreveram seis livros – e apenas o angolano Pepetela chegou à semifinal. Dos inscritos este ano, o moçambicano Mia Couto teve seu livro, “O Bebedor de Horizontes”, publicado em seu país e em Portugal em 2017 – a obra está chegando agora às livrarias brasileiras. Também foram inscritos “A Sociedade dos Sonhadores Involuntários”, do angolano José Eduardo Agualusa, que saiu em Portugal e aqui, e “Rua Antes do Céu”, do cabo-verdiano José Luiz Tavares, lançado em Portugal e em seu país.

A maior presença de obras de autores do continente impactou, também, na formação do júri. Serão 73 jurados este ano, entre escritores, poetas, professores universitários, jornalistas e críticos literários – 12 de Portugal, dois de Cabo Verde, três de Moçambique, três de Angola e 53 do Brasil. Em 2017, foram 50 brasileiros, 12 portugueses e três africanos residentes em Portugal.

O júri vai escolher as 50 obras semifinalistas – e a divulgação será no início de agosto. Na sequência, forma-se o júri intermediário, que vai escolher os dez finalistas, e o júri final, responsável pela escolha dos quatro vencedores que vão ganhar R$ 100 mil, R$ 60 mil, R$ 40 mil e R$ 30 mil. Ao todo, 346 diferentes editoras inscreveram livros no Oceanos 2018. Além das obras lançadas e inscritas por essas editoras, 60 volumes foram publicados em edições do autor. Além disso, a edição deste ano tem 28 obras publicadas em língua portuguesa em países como Alemanha (5 livros), Estados Unidos (21), Itália (1) e Reino Unido (1). No ano passado, duas obras haviam sido publicadas na Espanha e uma no Quênia.

Os curadores desta edição são os brasileiros Selma Caetano, Manuel da Costa Pinto e Mirna Queiroz e a portuguesa Isabel Lucas. Em 2017, os quatro premiados foram a portuguesa Ana Teresa Pereira, com “Karen”; Silviano Santiago, com “Machado”; o português Helder Moura Pereira, com “Golpe de Teatro” e o brasileiro Bernardo Carvalho, com “Simpatia pelo Demônio”, empatou com a portuguesa Maria Teresa Horta, autora de “Anunciações”. Ela recusou o prêmio.

O Prêmio Oceanos é realizado pelo Itaú Cultural com patrocínio do Itaú, CPFL Energia e República de Portugal – por meio do Fundo de Fomento Cultural Português.

Com Época Negócios

Recomendado para você