GIRO LUSÓFONO

Prêmio Oceanos divulga lista de 60 semifinalistas da edição 2018

Ao todo, a competição recebeu a inscrição de 1.364 obras, de 346 editoras diferentes, que foram publicadas em primeira edição no ano de 2017. (Foto: Divulgação Oceanos)

Foi divulgada a lista das 60 obras que se classificaram para a fase intermediária do Prêmio de Literatura em Língua Portuguesa Oceanos 2018. Além disso, foram definidos também os nove jurados que escolherão os dez finalistas da edição deste ano.

O regulamento previa uma lista de apenas 50 semifinalistas, a partir das notas atribuídas por 73 jurados, sendo que cada livro, nessa fase inicial, é lido por três diferentes jurados. Contudo, devido a empates técnicos nas últimas colocações, por diferenças de centésimos de pontos, houve a determinação de adição de dez livros, o que totalizou 60 títulos: 31 romances (de 483 inscrições), sete livros de contos (de 206 inscritos) e 22 livros de poesia (de 576 inscritos). Todas as obras concorrem entre si, pois o Oceanos premia as quatro melhores obras publicanas no ano anterior, sem distinção de gênero literário.

Ao todo, a competição recebeu a inscrição de 1.364 obras, de 346 editoras diferentes, que foram publicadas em primeira edição no ano de 2017. Foram 149 a mais em relação à edição do ano passado (1.215 inscrições). Criado em 2003, o Prêmio Oceanos tem por objetivo proporcionar o conhecimento e o intercâmbio entre as literaturas lusófonas de todo o mundo.

A relação de 60 obras semifinalistas são de 34 distintas editoras, de diferentes países: 18 do Brasil, com 33 autores; 11 de Portugal, com 16 autores; duas de Moçambique, com quatro autores; e uma editora de Cabo Verde, com um autor.

Oito obras de sete escritores nascidos em países da África se qualificaram como semifinalistas, dois deles nascidos em Angola, têm nacionalidade portuguesa, contra apenas uma obra em 2017, do angolano Pepetela, com livro publicado em Portugal: cinco obras foram publicadas em Moçambique e uma em Cabo Verde. Entre os semifinalistas, portanto, há seis obras e cinco autores representando o continente africano.

Há destaque também para a presença inédita, entre os finalistas, de um escritor de Timor-Leste, o romancista Luís Cardoso, e para o fato de que, pela primeira vez, haverá três semifinalistas nascidos em países onde o português não é língua oficial ou de expressão, mas tem caráter de idioma literário: a escritora romena Golgona Anghel, o espanhol Alfonso Pexegueiro, ambos publicados em Portugal, e a suíça Prisca Agustoni, publicada no Brasil.

Além das obras que seguirão paras a próxima etapa, os 73 jurados escolheram entre si os nove nomes que comporão os Júris Intermediário e Final. São eles:

Ana Paula Tavares (Angola)
Carola Saavedra (Brasil)
Daniel Munduruku (Brasil)
Flora Sussekind (Brasil)
Helena Buescu (Portugal)
Julián Fuks (Brasil)
Heitor Ferraz (Brasil)
Maria João Cantinho (Portugal)
Pedro Mexia (Portugal)

A partir de agora, eles lerão e avaliarão os 60 livros semifinalistas para, no final de outubro, eleger os dez finalistas que seguirão rumo à final.

O Oceanos 2018 tem curadoria da jornalista portuguesa Isabel Lucas e dos jornalistas brasileiros Selma Caetano, Mirna Queiroz e Manuel da Costa Pinto. O patrocínio é do Banco Itaú, da República de Portugal, por meio do Fundo de Fomento Cultural Português, e da CPFL Energia.

Recomendado para você