ID

Grupo de pescadores salva macaco que estava se afogando em Mato Grosso

Um grupo de pescadores salvou um macaco macho da espécie bugio no rio Teles Pires, divisa entre Mato Grosso e Pará. O animal estava tentando atravessar o rio, mas acabou sendo levado pela força da correnteza. O caso foi no último dia 21.

Em um vídeo gravado por um turista, o animal aparece, já sem forças, tentando nadar até a margem do rio. O caso ocorreu entre os municípios de Apiacás e Paranaíta, a 1.005 km e 849 km de Cuiabá, capital de Mato Grosso.

José Alves de Souza, guia de pesca, contou ao G1 que vários barcos passaram pelo macaco, mas ninguém fez nada para ajudá-lo. “De longe vimos um animal tentando atravessar o rio, mas a água já estava o levando. Ele tentava nadar, mas perdia a força e afundava. Fiquei preocupado, com medo de ele morrer, então resolvi salvá-lo”, relatou.

Foram necessárias várias tentativas até o salvamento do animal. Na primeira, José jogou um remo para que o macaco escalasse, mas ele e os outros pescadores acabaram perdendo o objeto. “Ele estava vindo para cima de mim, então soltei o remo e resolvi jogar o colete para puxá-lo”, contou.

(Foto: Arquivo Pessoal)

Na segunda tentativa, os pescadores jogaram um colete salva-vidas, que o macaco segurou e foi puxado até o barco, sendo levado até as margens do rio. “Ele se comportou bem, pois já estava cansado. Fiquei feliz por ter dado tudo certo”, contou José.

Carlos Eduardo Borella, operador de turismo de pesca que também estava no barco, disse que a intenção era ajudar o animal. “Sabemos que o macaco é um animal muito agressivo, esse foi o nosso medo, mas nossa intenção era apenas ajudá-lo. Não iríamos permitir que um animal silvestre morresse daquele forma”, disse.

(Foto: Reprodução/Youtube)

O biólogo Tony Shuring explicou o motivo do animal não ter atacado os pescadores. “O animal se sentiu acolhido e não demonstrou que poderia atacar. Ele é um primata de comportamento pacífico e vive em bandos. Os bichos dessa espécie disputam as fêmeas e só o macaco alfa acasala e brigam entre si para isso. Quando não são mortos, eles acabam sendo expulsos”.  Segundo ele, o animal estava sozinho pois pode ter sido expulso do grupo após uma briga. Geralmente, a espécie dele vive em bandos.

Confira vídeo: 

https://www.facebook.com/watch/?v=471792500280517

Recomendado para você