iMãe

Convivendo com a alergia a leite de vaca

1098 37

Oi queridas mamães!

Eu conversei com uma amiga minha, a Rachel Barbosa, mãe da Isadora, sobre um assunto suuuuper complicado, a alergia à proteína do leite de vaca (APVL), então, combinei com a Rachel dela deixar um relato pra gente de como ela descobriu a alergia da Isadora e como a família convive com a APVL. Pesquisando na internet, vi que existem muitos grupos de mães que trocam informações sobre a alergia e dão dicas umas para as outras, legal, né? Leiam aqui a historinha da Rachel e da Isadora, pode lhes ser útil.

***

Oi Carol!

É muito bom poder compartilhar um pouquinho da história da minha Isadora com as mamães que querem saber mais sobre a APVL. Olha só, eu descobri a alergia à proteína do leite de vaca na Isadora quando ela tinha seis meses e a alergia a ovo só com um ano. Quando a Isadora nasceu, o meu leite só “desceu” no 3º dia, até lá, como eu não tinha nenhuma informação sobre essas alergias, autorizei a enfermeira a dar o leite de vaca (Nan), nesses dois primeiros dias e não aconteceu nada que nós pudéssemos dar importância. Hoje todos os médicos especialistas em alergia que eu já fui falaram que a introdução precoce do leite de vaca desencadeou a alergia dela e que o melhor seria ter introduzido o leite de vaca só depois de 1 ano de vida do bebê.

Amamentei depois do terceiro dia exclusivamente com leite do peito, nem água era oferecida à Isadora. Já no sexto mês, aconteceu que no café da manhã de um dia de sábado lembro que ela curiosa começou a tocar nos alimentos, e um deles foi o queijo muçarela. Ela segurou e ficou rindo para a gente, como se gostasse da textura. Foi neste momento que apareceu uma urticária em volta de sua boca. Fiquei assustada e liguei para a pediatra dela, que falou que poderia ser alguma reação alérgica ao leite. Achei muito estranho porque nunca tinha ouvido falar que alguém poderia ter alguma reação alérgica ao tocar em alguns tipos de alimentos. Então, a pediatra me orientou que tivesse cautela ao dar leite de vaca, que desse apenas uma colherzinha de café e observasse. No outro dia fiz exatamente isso e logo veio a urticária em volta da boca.

A partir de então, foram muitas visitas a pediatras para saber informações sobre essas alergias, mas eu voltava totalmente transtornada, só sabia que deveríamos ter o máximo de cuidado com os alimentos com leite de vaca e que nada poderia fazer por ela, pois não existe vacina ou algo parecido. Paciência! Palavrinha que mais escuto nos consultórios. Comecei a pesquisar em sites, blogs como ajudar a Isadora a não ter alergia. Parece que é óbvio, mas não é! Descobrir o que não posso dar à minha filha ainda é difícil!

Mas sabe, estamos aprendendo com o tempo. Podemos fazer receitinhas gostosas para a Isa também. Evitamos ir a pizzarias, sorveterias e em aniversários sempre o cuidado é redobrado. Cuido da pele dela com o Fisiogel (hidratante), pois geralmente crianças com APVL têm a pele mais sensível.

Outra coisa importante é limpar a geladeira. Tiramos margarinas, leite, ovos, sobremesas com leite, e aí vão os sorvetes também. Substituímos a margarina por Becel, pois é bom que na hora das refeições ela possa estar junto de todos à mesa. Ela sente mesmo quando temos que dizer um não, quando ela vê uma pizza, um bolo. Então, passamos a comer o que ela pode também, fica mais fácil para todos.

Com a falta do leite de vaca é importante que a criança tenha um acompanhamento nutricional(a Isadora é acompanhada por uma nutricionista). Vale também pesquisar com cuidado nos supermercados o que a criança pode comer. E mesmo lendo e relendo, o melhor é chegar em casa e ainda ligar para os SACs das empresas para ter certeza dos ingredientes. Já tive susto com muitos produtos que não especificam nos rótulos, que possuem traços de leite. É bom não arriscar! Até batata palha pode ter viu?!

Olha, a Isadora usa o leite Isomil 2 e para engrossar o mingau eu acrescento o Vitalon que tem cinco sabores, então dá para variar (menos a farinha láctea, pois tem traços de leite). Para adoçar comecei a usar o Oligossac. Ela também adora frutas e sempre toma vitaminas. O almoço dela é igual de todos aqui em casa e ela gosta muito de caldinho de feijão. Na loja Danutri (em Fortaleza), que fica na Avenida Pe. Valdevino tem muitas novidades para crianças como a Isadora, biscoitinhos de batata-doce, chocolates sem leite, salgadinhos para lanches, creme de arroz (Ferla) etc.

A Isadora tem 2 anos e 10 meses e é uma linda bailarina. Só vocês vendo como ela é esperta e extrovertida. Linda demais! Acordar todos os dias e ver nossa querida Isadora dizendo “Bom dia” é para morrer de amor! Esperamos em Deus que ela fique curada dessa alergia! E mamães, força!

Olha, lembrar de sempre andar com o antialérgico prescrito pelo médico na bolsa, nunca se sabe.

Mais informações sobre receitinhas sem leite e sem ovos e também qualquer assunto sobre a alergia ao leite de vaca, entrem em contato! É sempre bom compartilhar!
Um beijão, Rachel Barbosa
Rio de Janeiro, 11 de janeiro de 2012.

***

E aí gente? Ótimas dicas, heim? Não esqueçam de sempre consultar o seu pediatra antes de testar qualquer produto no seu filho. Agora conheçam a Isadora, como é lindaaaaa!


Recomendado para você