iMãe

Meu bebê está batendo em mim

1811 50

Oi, gente!

Este blog também é um lugar para pedir ajuda! Socooooorro meu povo!
No fim de semana que passou, já na sexta, fiquei totalmente sozinha com a Laís e ela ficou muito agressiva. Claro que sempre acontece de ficarmos sozinhas, mas dessa vez foram três dias seguidos e fazia tempo que não acontecia. Agora, se é contrariada ela dá gritos intermináveis e quando vou falar com ela, ela me dá uns tapinhas de raiva. Corri para procurar tudo sobre o assunto. O que fazer? Como reagir? Pois, realmente, não estava preparada para isso agora, já que a Laís tem apenas 1 ano e 1 mês (quase dois meses).

Foi assim com vocês??? O que estou fazendo de errado???

Para ajudar li algumas dicas de mães que escreveram para a revista Crescer, tentando ajudar uma outra mãe aflita. Vou reproduzir aqui porque pode ajudar vocês também. Já estou usando as técnicas. Aí vai:


“Minha filha não para de me estapear. Ela faz isso comigo sempre e por qualquer coisa. Parece que não tem carinho por mim. O que eu faço?” Lisiane Leila de Moura, 30 anos, mãe de Natália, 1 ano e 10 meses

Ensine que ela está errada
Minha filha de 1 ano tem o mesmo problema. Quando isso acontece, seguramos a mão dela e dizemos: “Isso não pode, filha, é feio.” Demorou, mas ela está melhorando. Pietra chora, nos abraça e percebe que seu comportamento está sendo ruim. Ela realmente fica sentida. Tem de ter paciência, mas eles entendem. SHELA JULIANA DE PAULA PELLEGRINI, 25 anos, mãe de Pietra, 1 ano

Troque tapas por carinhos
Minha filha estava com esse mesmo comportamento e, em poucos dias, parou. Quando acontecer, olhe bem nos olhos e fale firme: “Não pode bater na mamãe.” Dê um beijo na mãozinha dela e passe em seu rosto, acariciando. IONA QUEIROZ, mãe de Hágda, 15 anos, e Isabella, 2 anos

Seja amorosa
Não pense que sua filha não tem carinho por você. Ela está querendo chamar sua atenção. Às vezes, minha filha tem a mesma atitude. Falo firme, mas com amor, que ela não pode bater, pois machuca, e a incentivo a fazer carinhos. Parece que ela entende, pois começa a alisar o meu rosto. Tente isso. ADRIANE DA CONCEIÇÃO, 37 anos, mãe de Ana Cristina, 1 ano e 5 meses

Teste o melhor jeito de conversar com ela
Nessas horas, a paciência é a melhor companheira. Tive esse problema há dois meses. Foi então que meu marido e eu descobrimos que não adiantava gritar. O que deu resultado foi falar com ela como se fosse adulta, com voz calma, olhando no olho e explicando que ninguém fazia aquilo nela e que era feio. DÉBORA CAETANO ABREU SILVA, 30 anos, mãe de Juliana, 1 ano

Descubra os motivos dela
Os tapas da sua filha podem ser carência, ciúme ou frustração. Veja o que desencadeia as reações e observe se alguém que ela conhece tem o costume de dar tapinhas, mesmo de brincadeira. Minha filha ficava agressiva comigo. Percebi que acontecia sempre que o pai dela e eu trocávamos algum carinho. Era ciúme! Então, sempre que meu marido me abraçava, abraçava ela em seguida. As reações negativas desapareceram. LUIZA ROCHA, 25 anos, mãe de Beatriz, 1 ano e 2 meses.
Recado da Crescer, que vale a pena ler!

Este mês, no fórum da comunidade da CRESCER, em nosso site, a pergunta esse assunto levantou polêmica. Alguns pais aconselharam a revidar o tapa da filha na mesma moeda, atitude que nos deixou inconformados. A comunidade é um espaço livre para você se expressar, mas palmadas ou qualquer tipo de violência à criança não resolve e é contra nossos valores. Bater não educa. Defenda você também esta bandeira.

O que diz a psicanalista...
Marina Massi é psicanalista e professora da PUC-SP

“Pergunte por que ela está zangada com você
Investigue as causas. Em primeiro lugar, pergunte-se por que uma criança de 1 ano e 10 meses está dando tapas em você. Deve ter algum significado por trás desse ato e você é a melhor pessoa para descobrir (acredite: tem informações suficientes para isso, só falta usá-las). Mesmo se não souber ainda o motivo, você pode segurar delicadamente o bracinho da sua filha e dizer que não se bate nas pessoas. Em vez disso, peça para ela dizer o que sente. Pergunte por que está zangada com você. Diga que bater não ajuda e que, quando ela estiver chateada, deve expressar em palavras, conversando e explicando para o outro do que não gosta e o que não quer. Fazendo isso, provavelmente ela vai parar de bater, mas cabe a você descobrir o motivo da atitude ter começado e assim cortar o mal pela raiz. Vá em frente e converse com ela.”

***

Deixe sua opinião e sua dica! Você pode ajudar outras mães!

Recomendado para você