iMãe

IPOM: um projeto Mãe de muitos meninos e meninas

Mães e pais!

Entrei em contato com meu amigo, Henrique Marinho, pois queria falar aqui de um projeto que acho lindo, o IPOM (Instituto Povo do Mar).

O IPOM nasceu em 2010 com a intenção de ajudar pessoas socialmente e economicamente desfavorecidas. Henrique me contou que a ideia surgiu de uma iniciativa dos fundadores, de fazer algo a mais do que o esperado pela comunidade do Titanzinho, pequena praia situada no bairro Serviluz, localizada em Fortaleza (CE), onde há boas ondas e muitos surfistas.

Eles queriam fabricar uma mudança, que iria quebrar os padrões da desigualdade social que assola o local onde o IPOM atua. “Pensamos que, já que estávamos lá dentro, usufruindo das ondas, do paraíso, da energia, por que não ajudar a construir uma base melhor e aumentar as chances daquela geração de crianças ter esperança, uma chance, uma luz para serem pessoas melhores?”, destaca Henrique.

E fizeram muito bem, o IPOM tem grande visibilidade aqui em Fortaleza e muitos parceiros, mas eles precisam de muito mais, sempre mais. Hoje em dia, aproximadamente 120 crianças, de 5 a 16 anos, são beneficiadas pelo instituto e 12 mães que fazem parte do projeto Brasis. Todos os projetos do IPOM sobrevivem com a ajuda de voluntários e de doações.

IPOM em ação

Vejam as atividades que o IPOM dispõe para a juventude do Titanzinho:

Escolinhas de Surf Ensinam não só o aluno a surfar, desempenham um papel fundamental na educação, treinamento físico e mental, através de aulas de surf, educação física, religião, conscientização ambiental e sempre em parceria voluntários que engrandecem ainda mais o aprendizado.

Maracatu Povo do Mar – Atividade sócio cultural que tem como finalidade ocupar o tempo das crianças e adolescentes participantes do projeto com a arte e a cultura, reduzindo assim a vulnerabilidade social e fortalecendo a identidade cultural de um povo que vive de frente para o mar de onde provem toda a inspiração para compor, tocar e cantar por uma cultura de paz.

Artes Visuais – Este projeto tem como objetivo trabalhar a psicomotricidade das crianças e adolescentes por meio do relaxamento e da concentração que o uso da argila-cerâmica, fundamental em nossa cultura nordestina, proporciona, considerando a arte fundamental no desenvolvimento do ser humano, pois envolve o sentimento, o pensamento e a forma de ver o mundo de quem com ela trabalha.

Grupos de Reflexão – Os grupos operativos têm o objetivo de favorecer de forma divertida e lúdica o conhecimento e a informação sobre seus direitos civis, políticos, socioassistenciais e direitos da coletividade, bem como o acesso aos meios necessários para exercerem e defenderem esses direitos; o conhecimento mais aproximado da realidade social, cultural, ambiental, política e sobre o território em que vivem; a identificação das potencialidades, problemas e necessidades de suas comunidades e a participação em iniciativas voltadas a sua superação; o desenvolvimento de diversas formas de participar da vida pública e exercer seus direitos e deveres de cidadãos.

Surfista Digital – O projeto Surfista Digital busca amenizar os problemas sociais existentes oferecendo as crianças e adolescentes da comunidade do Titanzinho ensino de qualidade não só na área digital, mas com reforço escolar, aulas de língua estrangeira, acessos a cultura e dicas de uma boa alimentação.

Projeto Brasis – Oficina de corte, costura e confecção, gerando capacitação e renda. para um grupo de 10 mães dos alunos IPOM. O projeto Brasis tem como objetivo desenvolver o empreendedorismo através do reaproveitamento de resíduos (upcycling) na comunidade do Titanzinho, segundo os princípios da economia solidária e da cultura do ecologicamente correto. No caso, eles serão reutilizados para a confecção de acessórios como bolsas, estojos, etc.

Este blog aplaude pessoas que tomam iniciativas como essa e aplaude o IPOM, que é a MÃE de todas esses jovens.

“Nós, do IPOM, decidimos descruzar os braços diante dessa situação, e não vamos apenas dar o peixe, ou ensiná-los a pescar, só iremos descansar quando revolucionarmos a indústria da pesca. Para nos ajudar a realizar os sonhos e melhorar as condições de vidas dessas crianças, basta ter a iniciativa”, diz Henrique Marinho, que fundou o IPOM com Aldemir Calunga, Paulo Eduardo Saade Montenegro e Paulo Marcelo Vasconcelos.

Para finalizar perguntei ao Henrique, qual o futuro que eles veem e querem para esses jovens e crianças?
“Vemos um futuro mais sereno e saudável. Com mais amor, respeito e sonhos. Almejamos um futuro com mais oportunidade, conhecimento, esperança, saúde (mental e física), serenidade etc. Acho que com as nossas oficinas podemos sim, mudar essa situação e a forma deles pensarem, mostrar que mesmo tendo nascido numa comunidade pobre, com esforço, dedicação e respeito eles podem sim, ser pessoas com um futuro melhor”, finaliza.

Assistam ao vídeo lindo do projeto:

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=1Y5knovXpoc[/youtube]

Para quem quiser colaborar voluntariamente com o IPOM: AQUI.
No Facebook, eles estão AQUI. Curte aí a fanpage!
Site: www.ipompovodomar.com.br

Recomendado para você