Blog do Jocélio Leal

Sem dinheiro fácil, sindicatos têm que trabalhar

Ação que propunha reverter o fim da contribuição sindical foi derrotada no STF. Novas incursões devem haver (Foto: Evilázio Bezerra- O POVO)

Fortaleza – Há poucos feitos no fraco Governo Temer. Neste cardápio ralo, afora a ilha de excelência na equipe econômica, capaz de frear a tragédia em curso na Era Dilma, incluem-se pontos da reforma trabalhista. A reforma acabou com o chamado imposto sindical. A excrescência gerou ao redor de 16 mil sindicatos no País. Em alguma medida, negócios e sustentados pelo dinheiro dos trabalhadores.

O trabalhador brasileiro era obrigado a repassar 3,33% do salário do mês – o equivalente a um dia de trabalho – a uma entidade na qual ele não necessariamente confiava. Na sexta-feira, a Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) nº 5.794 foi derrotada no STF, frustrando os interesses das entidades sindicais, acostumadas a bancar a vida com este dinheiro fácil. Sem ele, têm de trabalhar para consegui-lo, atraindo adesões. Uma dureza.

A Coluna de domingo está aqui

 

Recomendado para você