Blog do Jocélio Leal

BNDES financia R$ 619 milhões em parques eólicos no RN

Fortaleza –  O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), sediado no Rio de Janeiro, aprovou financiamento de R$ 619,4 milhões para a implantação de 13 parques eólicos, nos municípios de Pedra Grande e São Bento do Norte, no Rio Grande do Norte, além do sistema de transmissão. No total, serão instalados 149 aerogeradores. Há um clima de concorrência no ar com o Banco do Nordeste (BNB), com sede em Fortaleza.

Os parques terão capacidade de geração instalada de 312,9 MW, energia suficiente para abastecer cerca de 570 mil residências. Segundo o Banco, o projeto consiste na implantação de duas unidades: o Complexo Eólico Cutia e o Complexo Eólico Bento Miguel. Ambos contarão com instalações nos municípios de Pedra Grande e São Bento do Norte, no Rio Grande do Norte.

O Complexo de Cutia contará com sete parques eólicos, totalizando 86 aerogeradores, com capacidade instalada de 180,6 MW. Os parques do complexo deverão entrar em operação comercial plena até janeiro de 2019.

Já o Complexo de Bento Miguel, com seis parques eólicos, contará com 63 aerogeradores, com capacidade instalada de 132,3 MW. Seus parques deverão estar em fase operacional a partir de janeiro de 2019.
Os dois complexos compartilharão uma subestação coletora e uma linha de transmissão com 32 km de extensão, conectada à subestação Touros, de propriedade da Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf).

Investimento 

O dinheiro aprovado corresponde a 30% do investimento total, que é superior a R$ 2 bilhões, e serão liberados para a Cutia Empreendimentos Eólicos S.A., holding controladora de 13Sociedades de Propósitos Específicos (SPEs). Cada SPE controla um dos parques eólicos. A fim de diversificar o funding para o projeto e fomentar o mercado de capitais, está prevista uma emissão pública de debêntures de infraestrutura.

O BNDES lançou uma linha permanente para apoiar investimentos em energias renováveis, o BNDES Finame Energia Renovável, com dotação inicial de R$ 2 bilhões. De forma complementar, o programa Fundo Clima – Linha Máquinas e Equipamentos Eficientes também teve aprovado aporte de recursos de R$ 228 milhões para novos financiamentos.
 

Recomendado para você