Blog do Jocélio Leal

“O Fantasma do Padre” na Livraria Cultura

Fortaleza – O jornalista Erivelto de Sousa lança nesta sexta (17), de 17h às 20 horas,  na Livraria Cultura, o livro “O Fantasma do Padre”. A obra é um suspense que se passa na fictícia Serra do Medo, no Interior do Ceará. Haverá palestra e sessão de autógrafos. Erivelto de Sousa é escritor, jornalista, marqueteiro, cientista político e professor. Trabalhou por 20 anos em redações de jornal. Foi repórter, redator, editor e diretor de redação. Das redações foi para comitês de campanha eleitoral. Participou de campanhas no Ceará, Piauí, Maranhão, Sergipe, São Paulo (parlamentarismo).

Compre aqui

Resenha da editora

O romance tem início virada do século XVIII para o XIX. A trama acontece no Brasil em um mundo fictício, localizado em uma microrregião do Nordeste, no Sul do Ceará, distante pouco mais de 100 quilômetros da Capital, Fortaleza. O país do início do romance vive um clima de governos oligarcas e coronelistas. O desenvolvimento é incipiente. Milhares de migrantes chegam ao País recém-republicano e após a escravatura, eventos do final do século XVIII. A agricultura vive do café no Sudeste e no Sul, a carne, o queijo e o gado abundante. O ouro já declinara, e a indústria começava a aparecer. O Nordeste brasileiro vive da cana de açúcar, do algodão e de rebanhos bovinos.

O Norte vive do extrativismo, principalmente a borracha. O romance se desenrola em três períodos e envolve três gerações. O final está contextualizado na atualidade. Trata-se de uma obra ficcional, localizada na misteriosa e remota Serra do Medo, o sovaco de uma pequena cordilheira de mato entranhado, verde e denso nas estações chuvosas e seco e espinhento quando a estiagem se sobrepõe, o que é muito comum na região.

O início registra a chegada de imigrantes estrangeiros ao Brasil. Segue-se a saga da família Marquez. Zezito Marquez consegue chegar a Serra do Medo, no Ceará, e se casa com Mundica, que geral cinco filhos, entre eles Dalton Marquez. Já em Pernambuco, a família Nassu, que tinha como tronco os conquistadores holandeses, cria raízes. O início se dá através de um padre, que tem um romance com uma italiana, com quem tem dois filhos.

Um deles vai viver em Serra do Medo com um filho pequeno, depois da morte da mulher na peste de varíola que assolou o Rio de Janeiro. O personagem gera dois filhos com uma filha da empregada da fazenda e não reconhece nenhum dos dois. O primeiro é tirado da mãe e é criado pela irmã do personagem. Vira padre e vai conduzir a freguesia de Serra do Medo. O personagem que domina Serra do Medo envelhece só, possuído pelo orgulho e roído pelo remorso e a solidão.

Termina seus dias na tentativa de reparar os enormes erros do passado, com a ajuda de um filho de Serra do Medo, que se envolve com a história que ouvira sua mãe falar.

 

Recomendado para você