Layout

Habilidades do Poker vão ajudar Ogilvy Brasil a escolher novos talentos

 

André Akkari, Patrícia  Fuzzo e Leonardo Bueno

André Akkari, Patrícia Fuzzo e Leonardo Bueno

 

A Ogilvy Brasil  e a Surto, dos sócios André Akkari e Leonardo Bueno, firmaram uma parceria com o objetivo de buscar novos talentos para a agência. A escola possui um sistema de aprendizado dinâmico e diferenciado, com cursos dos mais variados segmentos, nos quais o aluno pode contar com a experiência de renomados profissionais que vão transmitir seus conhecimentos, cada qual, dentro de sua área de atuação.

Um dos grandes diferenciais da Surto, explica Bueno, é que ela foca em seu sistema de ensino algumas das habilidades exigidas no poker, como “pensar com a cabeça dos outros”, “lógica”, “inteligência”, “comunicação” e “sangue nos olhos”. Bueno, assim como Akkari, também é professor e proprietário de um centro de treinamento de poker localizado em Cabreúva (SP), o QG Akkari Team. “Em nosso centro de treinamento, se passamos o conhecimento efetivamente os alunos ganham dinheiro. Caso contrário, eles perdem e nós perdemos juntos. Ou seja, adquirimos uma forma de ensinar como muito foco e objetivo”,  explica Bueno.

Daí nasceu a ideia de montar a Surto, que oferece cursos como o “Reaprendendo a Pensar” e “Comportamento Digital e a Tecnologia na Comunicação”. O objetivo da Ogilvy Brasil, com essa parceria, é que a Surto identifique talentos que possam trabalhar no mercado de comunicação, não importa a área.

“Parcerias com escolas e faculdades são bastante comuns entre as agências. Nese caso, no entanto, vamos além. A Surto traz um sistema diferenciado de ensino, que tende a atrair os profissionais que buscamos para a Ogilvy”, explica a diretora de Recursos Humanos do Grupo Ogilvy, Patricia Fuzzo.  “Nosso objetivo é poder contar com profissionais cada vez mais satisfeitos, proativos, preparados para lidar com o mercado e que busquem destaque no seu meio”, explica a executiva.

O Papel da Surto é, através de seus cursos, identificar e preparar esses novos talentos para em seguida entrar em contato com a Ogilvy, que poderá também enriquecer seu banco de currículos e convidar os profissionais conforme a necessidade da agência.

Entre os cursos já implementados pela escola estão:  “Poker e Negócios”,  “Gestão Esportiva”, “Jornalismo Esportivo”, “Empreendedorismo Tecnológico para Mulheres”, “Sketchbook de Moda e Drones – Técnicas de Pilotagem” todos com instrutores que vivem o dia-a-dia da profissão, como Bruno Laurence, André Akkari, Camila Achutti, Chiara Martini e Flavio Samelo.

“Nós acreditamos em uma nova forma de pensar e de ensinar, diferente de tudo o que é padrão, sem amarras com qualquer método de ensino tradicional. Acreditamos que o mundo muda a todo momento e que devemos ser leves, antenados, ágeis e maleáveis para acompanhar as tendências e adequá-las ao nosso dia a dia, especialmente na educação”, diz Bueno. Ainda segundo o sócio da escola, “o sistema de ensino adotado se chama Surto porque traduz o que querem ensinar. Queremos que nossos alunos surtem, façam, corram, executem, esta é a política da nossa escola. Sem enrolação,  sem perder tempo com conceitos que não serão utilizados na prática e aprendam o que realmente importa com pessoas que contarão os principais segredos do mercado que ninguém quer e se preocupa em divulgar. A ideia é potencializar o lado humano e o lado técnico ao mesmo tempo”.

O objetivo é que a escola atraia, em sua maioria, o público com idade entre 16 e 35 anos, que está carente de informações e seja curioso, pessoas que têm vontade de fazer algo diferente, inovador e que saiam do que é tido como comum, seja num emprego ou na forma de ensino. “Pessoas com a cabeça aberta, curiosas, em busca de evolução é tudo o que queremos para o time da nossa agência”, completa Patricia Fuzzo, da Ogilvy.

Recomendado para você