Layout

Hapvida lança campanha, celebrando canonização de Irmã Dulce

A fé transforma vidas e dá razão para a existência de muitas pessoas. É pela fé que várias pessoas dedicam suas vidas para ajudar outras. Assim foi a vida de Irmã Dulce, que foi canonizada no dia 13 de outubro, e teve um papel importante na área da saúde, tratando e dando assistência aos doentes.

Para homenageá-la, o Hapvida acredita na importância da beata para a população, principalmente na Bahia, sua terra natal. Com vídeo e anúncio em veículos da Bahia, Ceará, Maranhão e Pará, a campanha traz a essência da vida de Irmã Dulce, que tem uma legião de fiéis em todo o País. Conhecida também como “anjo bom da Bahia”, ela nasceu para servir ao povo, fazendo da solidariedade uma missão de vida.

Para Simone Varella, diretora de Comunicação e Marketing do Hapvida, valorizar a vida de pessoas que fizeram história por meio da fé, solidariedade e amor ao próximo, é importante para reconhecer a trajetória e inspirar as novas gerações. “O Hapvida acredita que a fé contribui para um mundo melhor, numa cultura de paz e união. Homenagear a canonização de Irmã Dulce é também uma forma de agradecê-la, principalmente pelo cuidado à saúde das pessoas”.

A freira nasceu na capital baiana em 1914 e teve uma vida guiada pela caridade e assistência às comunidades pobres de Salvador. Na área da saúde, o Hospital Santo Antônio, na Bahia, é um dos grandes feitos de Irmã Dulce e que é referência na área no Norte e Nordeste do Brasil. O início da unidade foi em 1949, quando a beata improvisou um abrigo, no galinheiro do convento, para 70 doentes resgatados das ruas da capital baiana. Em 1960, ela inaugurou o Albergue Santo Antônio, centro que, duas décadas depois, deu lugar ao que hoje é o Hospital Santo Antônio.

Uma curiosidade da vida da religiosa, é que ela gostava de futebol e torcia pelo time de futebol Ypiranga. Irmã Dulce faleceu em 1992.

Recomendado para você