Leituras da Bel

José Olympio lança nova edição de A bagaceira, clássico de José Américo de Almeida

a-bagaceira-jose-americo-de-almeida

Capa da nova edição

O livro A Bagaceira, clássico de José Américo de Almeida, ganhou uma nova edição com capa reformulada e glossário feito pelo autor. “A trama se passa entre 1898 e 1915, dois períodos de grandes secas nordestinas. O enredo central gira em torno do triângulo amoroso entre Soledade, Lúcio e Dagoberto. Soledade, menina sertaneja, retirante da seca, chega ao engenho de Dagoberto, pai de Lúcio, acompanhada de vários retirantes: Valentim, seu pai, Pirunga, seu irmão de criação, e outros que fugiam da seca. Lúcio e Soledade acabam se apaixonando. Mas a relação entre os dois ganha ares dramáticos quando Dagoberto violenta Soledade e faz dela sua amante”, divulgou a Editora José Olympio, responsável pela nova edição.

A leitura de A Bagaceira é viva, crua, sensível e reveladora. Através dos escritos de José Américo de Almeida somos transportados para um sertão árido e desértico. “Andavam devagar, olhando para trás, como quem quer voltar. Não tinham pressa em chegar, porque não sabiam aonde iam. Expulsos do seu paraíso por espadas de fogo, iam, ao acaso, em descaminhos, no arrastão dos maus fados. (…) vinham escoteiros. Menos os hidrópicos – doentes da alimentação tóxica – com os fardos das barrigas alarmantes”, (ALMEIDA, p.8).

Para além das relações afetivas, a descrição de José Américo de Almeida no livro A Bagaceira mostra com delicadeza o estado dos retirantes, tangidos do sertão para as regiões litorâneas e úmidas pelo êxodo da seca. Magros, sem caminho, sem destino, sem perspectiva, mal alimentados e doentes. A vida, para estes povos, torna-se um exercício diário de superação da morte.

E, mesmo que o sertão os tenha açoitado com as labaredas ardentes da seca, eles olham para trás no desejo de retornar para o lugar de origem. Qualquer nuvem no céu, relâmpago ou mínimo sinal de chuva é sinal de esperança renovada. Assim, os retirantes adentram na zona estranha do brejo, como retratos de seres já mortos – reduzidos a uma condição de pouco pão, pouca humanidade e pouca hospitalidade.

Serviço
A Bagaceira
Autor: José Américo de Almeida
280 páginas
Preço: R$ 42,90
Editora: José Olympio / Grupo Editorial Record

Recomendado para você