Leituras da Bel

Uma terra cheia de Bárbaras: Mocinha, Conselheiro e Moacir

114 1

Por Talles Azigon (da página Poesia Brasileira)

Bárbara é nome próprio, muito próprio por sinal, nome de uma das figuras mais emblemáticas da história do Brasil. Bárbara de Alencar, mulher corajosa, guerreira, ousada e de visão, partícipe de revoluções e de movimentos separatistas libertadores. Bárbara também pode ser adjetivo, atributo daquilo que é magnífico, extraordinário. Também já foi utilizado para denominar certos povos dissidentes dos povos europeus, fora do centro, incivilizados, uma comunidade bárbara, alguns europeus usavam pejorativamente esse adjetivo.
Bárbara – tanto nome próprio quanto adjetivo – também serve para compor o título da coleção das Edições Demócrito Rocha, Terra Bárbara. A coleção, concebida e editada pela primeira vez nos idos dos anos 2000, reúne diversas biografias de personalidades cearenses. Sejam de nascimento ou de naturalização, oferecendo ao público as vidas nada prosaicas de nomes da literatura, da política, das artes, das ciências e do cotidiano das terras cearenses.

Box especial da coleção lançado em 2016

Em 2017, as Edições Demócrito Rocha reeditaram e relançaram a coleção com a adição de diversos nomes, entre esses Dona Mocinha, Antônio Conselheiro e Moacir Lopes. Os perfis biográficos são traçados por diferentes escritoras e escritores, conhecedoras/conhecedores da cultura e do povo do Ceará. Assim, você não simplesmente irá ler trabalhos de pesquisa e, sim, verdadeiras e apaixonadas escritas sobre tão apaixonantes pessoas.

Dos 15 títulos que compõem a coleção reeditada e atualizada, eu tive a oportunidade de ler três livros. Foram adquiridos durante a XII Bienal Internacional do Livro do Ceará, no evento de lançamento da coleção.

Dona Mocinha, escrito pela jornalista Raphaelle Batista, traça num ritmo como se fosse de samba, às vezes alegre, outras triste, hora acelerado, hora tenso e cheio de expectativa. A vida da mulher cheia de gaiatice, símbolo e madrinha mor do Carnaval de Fortaleza, que com sua simpatia e suas habilidades de coser, cozinhar e, principalmente, de sorrir. Conquistou milhares de fregueses para o seu bar, local referência para o samba no Ceará, com endereço na Praia de Iracema. A história de Mocinha emociona, não apenas por sua vida, ou sua posição de mulher poderosa, dona de sua própria vida, mas sim por ser uma pessoa de todas nós, uma pessoa genuinamente da Cidade.

Moacir Lopes, da professora e leitora Susana Frutuoso, é um livro que chove. A autora desliza suas palavras pelo mar da vida desse escritor reconhecido no mundo, porém pouco divulgado no Ceará, como se fossem jangadas. As palavras flutuam, para compensar uma vida tão áspera como foi a vida desse escritor cearense. Autor de livros celebrados e estudados em universidades de muitos países do globo, sua obra também navegou para o cinema com a adaptação de A ostra e o vento (Walter Lima Júnior, 1997). Esse homem – que praticamente inaugura um tema na romanesca brasileira, livros sobre a vida no mar -, ganha de Susana Frutuoso um relato certeiro e também emocionante.

Os de fora quase sempre tomaram o líder messiânico Antônio Conselheiro como um verdadeiro louco, bandido, fanático religioso. Porém, quem é daqui não se ludibria fácil. Como o escritor e ilustrador Audifax Rios, autor do título da coleção Terra Bárbara sobre o líder do Arraial de Canudos. Ele sabe que nosso Conselheiro na verdade foi um verdadeiro revolucionário. No livro de Audifax, a história dessa personalidade é quase como se fosse um filme, cheio de reviravoltas, cortes e imagens. Compor o perfil de uma figura tão emblemática não é nada fácil, algo que o autor do livro consegue com a maestria de quem em vida foi tão importante quanto a personagem sobre a qual escreveu.

O maior ganho da coleção para nós leitores é conhecer a vida de gentes nossas da quais ouvimos sempre falar apenas de boca, gentes infelizmente fora do assunto ensinado nas escolas. Mas não são histórias contadas de qualquer modo ou didatizada como se estivéssemos em uma aula. Os três título lidos por mim em comum têm o lirismo e a desenvoltura necessárias para cativar qualquer leitor, seja ele iniciante ou profícuo, dos mais ocasionais aos mais distraídos. A coleção Terra Bárbara é um presente, uma coleção que deveria estar em todas as escolas do Ceará, e muito mais que dentro das mochilas das/dos nossas/nossos jovens, é uma coleção que deveria estar no coração de todas nós.

Serviço
Coleção Terra Bárbara
Onde comprar: Espaço O POVO de Cultura & Arte (Avenida Aguanambi, 282)
Vários preços
Outras informações: 3255 6270

Recomendado para você