Leituras da Bel

As melhores descobertas literárias de 2017

Outros Jeitos de Usar a Boca, livro de Rupi Kaur, foi escolhido como descoberta literária de 2017

Quais livros marcaram você em 2017? Quais leituras fizeram o coração saltar e o estômago pulsar? Fiz uma pesquisa rápida entre os amigos do Facebook. A pergunta era simples: “Gente, qual são os três melhores livros que vocês conheceram em 2017?”. Apareceram livros conhecidos, livros publicados em formato independente, livros de autores estrangeiros, livros escritos por mulheres negras. Eu conhecia a maioria e fiquei feliz com as indicações para livros desconhecimentos por mim.

Com base nas respostas, organizei uma “espécie de ranking” com os livros mais citados. Claro, classificar um livro como melhor ou pior do que outro é sempre  um risco. Mas coloquei em destaque os mais citados. Os outros recebem menção honrosa (que elegante! kkkkkk). A lista tem Mia Couto, Raisa Christina, Virgínia Woolf, Arnaldo Antunes, Lydia Davis, Stephen King, Marcelino Freire, Milton Hatoum e Joca Terron.

Se você não conheceu algum deles: ainda há tempo. O ano não acabou e as listas de leitura para 2018 estão aguardando o planejamento. Feliz ano novo e feliz leituras novas!

Os mais votados e escolhidos como descobertas do ano:
– Outros jeitos de usar a boca (Rupi Kaur)
– O Conto da Aia (Margaret Atwood)
– Teatralogia Napolitana (Elena Ferrante)
– Claviculário (Anna K Lima)
– Eu sou Malala (Malala Yousafzai e Christina Lamb)
– Dois Garotos se Beijando (David Levithan)
– A faca (Ronaldo Correia de Brito)
– Como se estivéssemos em palimpsesto de putas (Elvira Vigna)
– Argonautas (Maggie Nelson)
– Cem anos de solidão (Gabriel García Marquez)
– Diário de Queda (Michel Laub)

Margaret Atwood é autora de O conto da aia

E as menções honrosas:
– Jesus Cristo Bebia Cerveja (Afonso Cruz)
– A imensidão íntima dos Carneiros (Marcelo Maluf)
– Todas as funções de uma cicatriz (Lamia Brito)
– Demian (Hermann Hesse)
– Mensagens enviadas enquanto você estava desconectado (Raisa Christina)
– Risíveis Amores (Kundera)
– Desesterro (Sheyla Smanioto)
– Alucinadamente feliz (Jenny Lawson)
– Mulheres que correm com os lobos (Clarissa Pinkola Estés)
– Origem (Dan Brown)
– A Sombra no Vento (Carlos Ruiz Zafón)
– Confissões (Kanae Minato)
– O Diário de Bridget Jones (Helen Fielding)
– Mrs dalloway (Virgínia Woolf)
– Precisamos falar sobre Kevin (Lionel Shriver)
– It – A Coisa (Stephen King)
– Jamais o Fogo Nunca (Diamela Eltit)
– Fabian e o Caos (Pedro Juan Gutierrez)
– A Montanha Mágica (Thomas Mann)
– Memórias do subsolo (Fiódor Dostoiévski)
– A vida que ninguém vê (Eliane Brum)
– Olhos d’água (Conceição Evaristo)
– O útero é do tamanho de um punho (Angélica Freitas)
– A arma escarlate (Renata Ventura)
– A comissão Chapeleira (Renata Ventura)
– Caixa de pássaros (Josh Malerman)
– O Saotur (Natalia Smirnova Moraes)
– A Companhia Negra (Glen Cook)
– Senhor das Moscas (William Golding)
– Contos Negreiros (Marcelino Freire)
– Vertigem dos Dias (Ferreira Gullar)
– A insustentável leveza do ser (Kundera)
– A mulher desiludida (Simone de Beauvoir)
– Quase Memória (Carlos Heitor Cony)
– Onde andará Dulce Veiga (Caio Fernando Abreu)
– Admirável Mundo Novo (Aldous Huxley)
– Para educar crianças feministas (Chimamanda Ngozi Adichie)
– Dias de abandono (Elena Ferrante)
– Doze contos peregrinos (Gabriel García Marquez)
– Dois Irmãos (Milton Hatoum)
– A Casa (Natércia Campos)
– Cultura (Arnaldo Antunes)
– O Mez da Grippe (Valêncio Xavier)
– Estou pensando em acabar com tudo (Ian Reid)
– Nada me Faltará (Lourenço Mutarelli)
– Homo Deus (Yuval Noah Harari)
– A Guerra não tem rosto de mulher (Svetlana Alexijevich)
– O livro amarelo do terminal (Vanessa Barbara)
Cartas de amor aos mortos (Ava Dellaria)
– A morte do caixeiro viajante e outras 4 peças de Artur Miller
– Extremamente alto e incrivelmente perto (Jonathan Safran Foer)
– Nem vem (Lydia Davis)
– Fragmentos de um Discurso Amoroso (Roland Barthes)
– Frankestein (Mary Shelley)
– Um rio chamado tempo, uma casa chamada terra (Mia Couto)
– Noite dentro da noite (Joca Terron)
– O complexo de Portnoy (Philip Roth)
– Múltipla escolha (Alejandro Zambra)
– Estrela distante (Roberto Bolaño)
– Câmera lenta (Marília Garcia)
– Poesia completa de Orides Fontela (Orides Fontela)
– O Enigma Orisdes (Gustavo de Castro)
– O Anjo Pornográfico (Ruy Castro)

Categoria HQ
– A diferença invisível (HQ)

Categoria Mangá
– Full Metal Alchemist

 

Esse post foi construído com a gentil participação dos amigos: Jéssica Balbino, Alexandre De Almeida Guimarães, Anna Karine Lima, Carolina Sousa, Renato Abê, Val Vasconcelos, Thaís Brito, Samuel Brasileiro, Bárbara Danthéias, André Victor, Fernando Alves Cardoso, Jéssica Gabrielle Lima, Talles Azigon, Natalia Cunha, Alexandre Moreira, Mailson Furtado Viana, Sarah Sousa, Aline de Paula, Kaliza Holanda, Renata Aline, Laila Rayssa, Kelly Garcia, Luann Ferreira, P.H. Diaz , Kelly Oliveira, Kami Girão, Mariana Amorim, Alessandra JJ, Bárbara Costa Ribeiro, Fernanda Meireles, Zeno Queiroz e Paula Yemanjá Torres.

Recomendado para você