Leituras da Bel

Sara Síntique escreve o poema ‘outra lenda da bruxa’

Por Sara Síntique*
A cearense Sara Síntique escreve poemas quinzenalmente para o Leituras da Bel. Poeta, atriz, performer, mediadora de leituras e educadora, Sara mora em Fortaleza e publicou seu primeiro livro em 2015, pela Editora Substânsia. Leia sobre ele aqui! O poema publicado hoje foi feito durante uma travessia entre Cariri e Fortaleza.

Ilustração: Jéssica Gabrielle Lima

***

outra lenda da bruxa

para Conceição Lima

e falava bem no meio da praça
é melhó num lê mais as notícia
nem pela forma nem pelo conteúdo
é melhó num lê mais as notícia
dizia a velha pra quem quisesse ouví
tanta desgraça ê xicondó ô – melhor num sabê
e só num via a velha quem não queria vê
e só num ouvia a velha quem não queria ouví
falava alto bem alto às vez gemia
a velha na hora me lembrou San Malanzo
nunca vi San Malanzo mas sabia
era velha pobre preta feiticeira e só
e repetia e repetia e repetia
a velha sabia mais das coisa
que a gente que sabe e que num diz
esse medo que tão metendo o povo
chacina doença é desgraça ê xí ê xí
coitado de quem tem o podê
as perna vai tremê ê xicondê ó
ô corre ô cai ô corre ô cai ó
o inocente tá caindo ó
mas uma hora o grande paga ê xí
uma hora tu vai vê, menina
justiça justiça ó
ouví ajoelhei pra Sangô
tinha algo sim de San Malanzo na velha
nunca vi San Malanzo mas tinha
muito pobre muito velha muito feiticeira
é melhor num lê mais isso não muita desgraça
e há tanta poesia pra lê
depois saiu voando a velha
o corpo despedaçando o céu
cada parte ia pruma banda reluzindo
e só num via quem não queria vê
e só num ouvia quem num queria ouví
ê xí ê xí ê xí ê

 

***

Recomendado para você