Leituras da Bel

Mamá: um poema de Sara Síntique para o Leituras da Bel

Por Sara Síntique*

A cearense Sara Síntique escreve poemas quinzenalmente para o Leituras da Bel. Poeta, atriz, performer, mediadora de leituras e educadora, Sara mora em Fortaleza e publicou seu primeiro livro em 2015, pela Editora Substânsia. Leia sobre ele aqui!

Ilustração: Jéssica Gabrielle Lima

****

mamá

teu passo pesado na casa, mamá
arrastando chinela teu passo
na madrugada
se o niño volta, mamá
inda hoje amanhã se volta
tua camisola algodão cheira
à lágrima duma cor que já desconheço
desbotadando, mamá? o teu passo até
a cozinha quer mais que um gole d’água
essa sede, mamá? ela passa?
se tentasse tevê bordado se fosse
na roça inda menina na roça
o terreiro barrer se fosse afoita mulher
uma cachaça um bar numa esquina
afoita mulher foder cavar um buraco com
as mãos mas
mamá se faz senhora
senhora e triste
senhora
o passo pesado
arrasta a chinela e esse niño não volta
essa noite, mamá
nem sei
se ela passa

*Sara Síntique

É poeta, atriz, performer, mediadora de leituras e educadora. Mestra em Literatura Comparada pela Universidade Federal do Ceará (UFC), onde também se graduou em Letras Português – Francês. Nasceu em Iguatu (CE), em 1990, e reside em Fortaleza desde 2001. Autora do livro de poesia Corpo Nulo (Editora Substânsia, 2015).
Escreve poemas quinzenalmente para o blog Leituras da Bel.

Recomendado para você