Leituras da Bel

Leia “esfinge” e “esfinge II”, textos do escritor Bruno Paulino

Por Bruno Paulino

Foto: Tatiana Fortes/O POVO

esfinge

vi os pássaros no teu corpo
quis voar com eles
no céu bonito da tua pele
para desanuviar sonhos
por tatuagens e labirintos

tu és esfinge
oráculo e canção
desejo que não ouso
manuscrito in-fólio
que não sei ler

teu enigma
não tem decifração

esfinge II

teu olhar
que nunca antes eu tinha visto
é medonho como um sol:
alumia, traspassa
e encandeia meu desejo

***

Bruno Paulino

É cronista e aprendiz de passarinho

***

Recomendado para você