Marketing Para Todos

O QUE VOCÊ GANHA COM A TRANSFORMAÇÃO QUE OCORRE NA INDÚSTRIA AUTOMOTIVA MUNDIAL

Salão do Automóvel de Frankfurt (IAA) / 2017 – Novas tendências.

A indústria automotiva passa por uma grande transformação que impactará de forma direta em sua vida e de toda a população mundial.

Pressionada por uma sociedade que busca cada dia mais melhoria da qualidade de vida e do clima do planeta, com regras cada vez mais rígidas contra a emissão de poluentes, os fabricantes de carros buscam soluções práticas e rápidas para resolver o problema.

Só para se ter ideia, até 2021, 95% da frota de cada montadora terá de emitir no máximo 90 g/km de CO2 com multa por grama excedente e por carro. Além disso, países como França e Reino Unido já divulgaram que automóveis com motores convencionais estarão impedidos de circular por lá a partir de 2040. Até a China estuda proibir, a médio prazo, a produção e venda de carros com combustíveis fósseis (gasolina e diesel).

E há ainda um outro fator social que vem incomodando essa indústria: a diminuição do interesse dos jovens pelo automóvel a partir do momento que ele deixa de cumprir seu principal objetivo: a mobilidade. Por causa disso, o carro surge como um dos vilões do trânsito nas grandes cidades e do meio ambiente. Como mudar isso?

Algumas das soluções surgiram em discursos e produtos apresentados durante o Salão do Automóvel de Frankfurt 2017 (IAA), na Alemanha – o maior e mais luxuoso do mundo -, que se encerrou no último 24 de setembro.

O Salão de Frankfurt (www.iaa.de) é a principal vitrine das novas tendências tecnológicas, de design e de marketing que dominarão as ruas do mundo nos próximos anos. O evento teve cerca de mil expositores  – 50 fabricantes, inúmeros fornecedores de peças e gigantes da Internet -, e recebeu em torno de 1 milhão de visitantes.

Carros para um mundo pós petróleo

Mesmo tendo as supermáquinas como o centro das atenções, o Salão de Frankfurt 2017 apontou como principal tendência carros para um mundo pós petróleo, com a domínio de mercado dos veículos elétricos que vieram para ficar.

Elétrico Audi Icon – AP Photo/Martin

Durante o evento, gigantes alemãs como a Volkswagen, BMW e Daimler – anunciaram programas de incentivo para veículos elétricos ou híbridos. A Volkswagen, por exemplo, vai investir 20 bilhões de euros em carros elétricos até 2025 e apresentou modelos que pretende lançar até lá.  Já a Mercedes-Benz, que terá versão elétrica para todos os seus modelos até 2022, e BMW pretendem acabar com os modelos a diesel e à gasolina até 2040.

EQA: compacto  elétrico da Mercedes-Benz – Foto Divulgação

E há propostas mais radicais como a da Smart, especializada em compactos. A empresa anunciou que a partir de 2020 nenhum carro de sua frota terá motor a combustão.

Novo conceito de compacto elétrico da Smart – Foto divulgação

Levantamento da FGV Energia aponta que a frota mundial de elétricos e híbridos no ano passado era de 2 milhões de veículos para passageiros – exceto ônibus e motocicletas. Esse estudo estima que até 2020, ela atinja 13 milhões, e, em 2030, 140 milhões – 10% da frota total de carros. Outro estudo da Bloomberg New Energy Finance projeta que até 2040 a frota global de carros elétricos deve atingir 530 milhões de unidades.

No Brasil somente este ano foram comercializados mais de 2 mil carros elétricos e híbridos, quase o dobro de 2016. Hoje, um dos obstáculos para o aumento da frota de elétricos no País é o alto preço, principalmente da bateria que equivale a 50% do custo total do carro. Mas a tendência é diminuir com o aumento da competitividade – estudos apontam queda mundial em torno de 60% desde 2010.

Equipamentos de carga para carros elétricos ABB

Mas o caminho desta mudança já começa a ganhar contornos reais por aqui. A empresa de tecnologia ABB, por exemplo, negocia a instalação de equipamentos de carga para carros elétricos junto a uma rede de postos de combustível, shoppings, estacionamento e aeroportos. A distribuidora de energia CPFL estima que o Brasil terá em torno de 15 mil postos de recarga elétrica até 2030. A empresa projeta uma frota brasileira de carros elétricos e híbridos acima de 4 milhões de unidades até lá.

A indústria automotiva acelera sua mudança para uma forma de mobilidade sustentável, limpa e mais barata em benefício do planeta e de todos nós. A onda agora no setor é a do marketing societal, que visa proporcionar melhor qualidade de vida para a sociedade e, ao mesmo tempo, minimizar os impactos gerados ao meio ambiente.