Meu Negócio

Chegou a hora de ter um sócio?

(Foto: AleksandarGeorgiev/GettyImages)

Saiba como avaliar uma futura parceria, o que fazer antes de aumentar sua sociedade e evitar equívocos

É natural que, com a expansão de um negócio, os empreendedores busquem parceiros que auxiliem no desenvolvimento do projeto. Por conta disso, é necessário conhecer alguns aspectos antes de escolher e iniciar uma nova sociedade para evitar correr riscos futuros.

Um empreendimento para ser bem gerido precisa de pessoas competentes para desempenhar cada função. Quando se avalia a vinda de um novo sócio, é essencial que seja feito um diagnóstico para ver o que necessita ser fortalecido, para que este venha cobrir a deficiência existente ou para consolidar uma área que os parceiros atuais creiam que necessita de suporte.

O consultor empresarial Frederico Gurgel diz que para identificar um possível novo associado é fundamental que os sócios atuais definam claramente as necessidades e os reais motivos para a nova parceria. Depois, é preciso percepção para identificar aptidões. “A constituição de uma sociedade se dá por complementaridades de competências”, ressalta.

Em seguida, é preciso definir a funcionalidade da chegada de um novo sócio. Se a pessoa irá agregar no empréstimo de recursos e aplicação de capital, por exemplo, ou tornar a empresa mais competitiva no mercado.

Outro ponto importante apontado por Frederico é verificar o comprometimento do profissional que irá se unir ao empreendimento. “Às vezes, as pessoas chegam entusiasmadas e é necessário que as visões de todos sejam compartilhadas com o quem chega para fazer a nova composição. É preciso deixar claras as funções, metas e ver se realmente esse sócio está disposto a se comprometer”, afirma.

Avaliação

A falta o plano de ação é o equívoco mais comum, segundo Gurgel. Boa parte das sociedades é feita por amigos que não definem claramente suas funções. Ele cita como exemplo colegas que vendem muito bem, mas que nenhum gosta de finanças ou administração. São vendedores eficientes, mas a empresa está mal gerida na questão financeira. “Se as metas não estiverem bem estabelecidas, podem surgir problemas emergentes que acabam por desestruturar as sociedades”.

Outro problema é o da pouca comunicação entre os envolvidos. Antes de incluir uma pessoa em um trabalho já existente, é fundamental que esta seja aberta e esclarecida sobre o funcionamento do negócio.

Recomendado para você