Nobre Arte

Canelo Alvarez e a polêmica do doping por carne contaminada

A principal luta de 2017, excluindo Floyd Mayweather contra Conor McGregor que era mais uma exibição do que um combate entre lutadores ranqueados, foi a esperada defesa dos cinturões dos médios entre o cazaque Gennady “triple G” Golovkin contra o mexicano Saul “Canelo” Alvarez em 16 de setembro de 2017.  A luta superou as expectativas e foi declarada um empate, embora muitos tenham apontado a vantagem do boxeador cazaque.  Além disso, a luta também foi um sucesso comercial, vendendo aproximadamente 1.3 milhão de pacotes de Pay-per-view nos Estados Unidos e gerou mais de 27 milhões de dólares somente com a bilheteria.

Logo, pela ótimo combate, pela quantidade de dinheiro e pela indefinição do resultado era de se esperar uma revanche e esta não demorou a ser finalizada a negociação para a data prevista de 5 de maio, emblemático feriado para os mexicanos.

Contudo, nem tudo foi como  o planejado. No começo de março chegaram as notícias de que o Canelo tinha caído em testes anti-doping em amostras fornecidas em 17 e 20 de fevereiro para a VADA (Voluntary Anti-Doping Agency) uma  uma associação independente fundada para oferecer e promover programas antidoping voluntários. As duas amostras voltaram positivo para o anabolizante Clembuterol.

Após as notícias serem divulgadas sobre o suposto doping, representantes do lutador mexicano logo trataram de desmentir o doping voluntário afirmando que os níveis de clembuterol encontrados eram oriundos da ingestão de carne contaminada, algo que já teria acontecido antes, inclusive outro boxeador famoso do México, Erik Morales.

Em 18 de abril houve uma audiência para esclarecer e definir a punição sobre o caso com a Comissão Atlética de Nevada. A Comissão exigiu também um teste nos folículos de cabelo para verificar a presença ou não de traços de Clembuterol. Na audiência Canelo foi condenado a uma suspensão de 01 ano, mas como cooperou com a Comissão sua penalidade foi reduzida para 06 meses a contar da data do primeiro teste, 17 de fevereiro. Ou seja, estaria suspenso até 17 de agosto e a revanche contra Golovkin foi cancelada. Vale notar que em 20 de abril os resultados do teste nos folículos de cabelo foram divulgados e voltaram negativos.

Não é preciso dizer que o cazaque ficou extremamente contrariado, pois realizou todo o duro e financeiramente custoso processo de treinamento e também esteve apto de acordo com os testes a lutar, fora o montante de dinheiro que perdeu. Golovkin decidiu lutar na data contra Vanes Martirosyan, mas recebeu apenas uma ínfima fração do que ganharia contra o Canelo.

Os dois lados, Canelo e Golovkin, após duras rodadas de negociação, que eu detalharei em futuro post, chegaram a acordo sobre a revanche, agora marcada para 15 de setembro.

A grande questão para o legado de Canelo é que paira a dúvida: Será que Canelo sempre se dopou e só agora caiu ou realmente foi carne contaminada? Diversos boxeadores se manifestaram contra o mexicano, afirmando que ele sempre fez uso, o que coloca uma mancha em sua cartel como boxeador.

Uma vitória estando “limpo” em setembro ajudará a desacreditar os que afirmam que ele sempre se dopou. Resta saber como será a apresentação do mexicano.

 

Canelo contra Golovkin

Recomendado para você