ORA, POIS!

Até setembro. Comércio entre China e países lusófonos tem alta de mais de 31%

Macau é a plataforma chinesa para cooperação econômica com os países lusófonos. Foto: MAGNIFIER

De acordo com dados dos Serviços de Alfândega da China, as compras chinesas aos países de língua portuguesa subiram mais de 31% até setembro deste ano. No total, foram 62,80 milhões de dólares de aquisições contra 26,61 milhões de dólares vendidos aos lusófonos. Se comparado ao ano anterior, as compras do país asiático representam um crescimento de 25,09%.

O principal parceiro econômico chinês segue sendo o Brasil, com trocas comerciais totalizando 66,54 milhões de dólares, entre janeiro e setembro. As importações chinesas foram de 45,41 milhões de dólares (aumento de 26,67%) e as exportações de 21,12 milhões (alta de 33,57%).

Na segunda colocação ficou Angola, com trocas comerciais registrando um aumento de 45,37%, chegando aos 17,13 milhões de dólares. Pequim vendeu a Luanda 1,65 milhão de dólares (subida de 33,65%), enquanto comprou 15,47 milhões (crescimento de 46,75%).

O terceiro maior parceiro lusófono da China foi Portugal com um comércio bilateral de 4,23 milhões de dólares nos primeiros nove meses deste ano, o que representou um aumento de 1,94%. Contudo, Lisboa comprou mais do que vendeu a Pequim, sendo: 2,71 milhões em exportações à China (menos 10,98%) e 1,52 milhões de dólares em importações (mais 37,33%).

Desde 2003, ano de criação do Fórum Macau, a Região Administrativa Especial de Macau é a plataforma chinesa para a cooperação econômica com os países lusófonos. O bloco tem reuniões ministeriais a cada três anos.

Recomendado para você