Plínio Bortolotti

Fortaleza, terra de ninguém

31 8

A seção “Fortaleza, terra de ninguém”, abre espaço hoje para o artista plástico Hélio Rola, que enviou a foto e a carta abaixo ao coordenador do DER.

O coordenador do DER, José André Pierre Pessoa, respondeu-lhe e sua carta a Hélio Rola também segue abaixo.

A calçada virou pista de rolagem para veículos de quatro rodas, os reis e senhores de Fortaleza

Sr. Dr. José André Pierre Pessoa

Coordenador de Engenharia de Rodovia do Departamento de Estradas de Rodagem do Estado do Ceará (DER)
 
A foto em pauta, do caminhão baú rolando no asfalto, que antes era calçada…,  foi feita ontem, dia 18, por mim, na Av. Washington Soares, onde se vê o que resta da calçada de um Kartódromo do qual não sei o nº, mas que é vizinho à Casa José de Alencar, de nº. 6055, na dita Av. Washington Soares, que nesse trecho foi alargada do modo mais arbitrário e indevido a meu ver e ao ver de muitos.

De repente, o que era calçada se tornou, por conta de Vossa engenharia, uma pista de alta velocidade por onde os passantes, pessoas humanas, são obrigados a caminhar correndo risco de vida. Que risco correm as pessoas que andam por ali? Que racionalidade moveu o DER a fazer tal obra daquele jeito pondo em risco a vida dos pedestres que transitam por ali, na época de aulas, em sua maioria crianças e adolescentes?

Já disse antes, à Ouvidoria (ouvidoria@der.gov.br) que a subtração da calçada daquele jeito, na marra, e naquele ponto abre espaço para o acidente e morte de alguém e, portanto, pode ser tido como um ato criminoso atual e potencial de responsabilidade de Vossa engenharia.

Será que as leis que norteiam a segurança do viver humano, aqui em nossa cidade, não comovem nem movem o DER a visitar o local e, com juízo técnico, responsabilidade cívica e consideração pela vida humana, reconhecer que tem que devolver, o mais breve possível, a calçada aos seus transeuntes?

Caso contrário podemos dizer que a idéia de “progresso” e de habitar humano que anima Vossa engenharia não passa de retrocesso urbano e dano sócio-ambiental, pelo menos nesse caso?

Saudações da pARTE do Hélio Rôla
Fortaleza é nossa debilidade

A resposta do coordenador do DER

Sr. Hélio,

Antes de mais nada gostaria de agradeçer suas observações, que apresentadas de forma cidadã contribui para o nosso trabalho.

Especificamente com relação a CE-040 e suas intervenções, estamos permanentemente adaptando-a para assegurar trafegabilidade e segurança, já que notadamente essa via hoje comporta um fluxo de algo em torno de 50 mil carros dia e que sua projeção foi subestimada em 05 anos, pelo desenvolvimento acelerado daquela região.

Conseguimos ao longo desses dois anos uma redução de mais de 200% no número de acidentes com veículos e pedestres o que garante a qualidade técnica das modificações. I

Com relação ao citado acidente, em trecho onde existe um terreno para funcionamento de um Kart, já foram providenciadas as devidas indenizações e brevemente a calçada será restaurada em sua condição anterior.

Saudações

André Pierre

Vamos ver no que vai resultar. Se a calçada for restaurada, aconteceram [ão] duas coisas extraordinárias:

1. Uma autoridade abalou-se para dar a explicações a um cidadão.

2. A campanha de um homem só, que o cidadão Hélio Rosa fez para retomar a calçada para os pedestres, foi ouvida por uma autoridade responsável.

Recomendado para você