Plínio Bortolotti

Moradores precisam provar que existem para ter direito à luz

Lua: de Hélio Rôla

Lua: de Hélio Rôla

A edição do O POVO deste domingo tem matéria da repórter Daniela Nogueira mostrando que um pedaço do século XIX sobrevive nas nossas barbas, no bairro Cidade 2000. Uma comunidade de cerca 60 pessoas que vive sem energia elétrica.

A repórter consultou a Coelce, a companhia de energia elétrica disse que não poderia levar luz para o lugar, pois só pode fazer isso onde há “arruamento”.

Daniela Nogueira foi à Prefeitura. A “assessoria de imprensa” da Secretaria Executiva Regional II, responsável pelo bairro, respondeu que os moradores precisam “comprovar a presença no local (com) o máximo de documentos possíveis”, para pleitear o arruamento.

Santa mãe! (Para não usar a expressão que pensei): os moradores precisar provar que existem com uma pá de documentos?

Será que não existe um único funcionário na Prefeitura, um assistente social, um fiscal, um faz-nada, que possa tirar a b…, quero dizer, se levantar da cadeira para ir lá ver com os próprios olhos que essas pessoas existem?

Talvez o próprio “assessor de imprensa” pudesse, ele mesmo, fazer o serviço para tomar um choque de realidade que lhe iluminasse as ideias.

Recomendado para você