Plínio Bortolotti

Sindicato da Polícia Civil reage – mal – às críticas do secretário da Segurança Pública

O Sindepol [Sindicato dos Delegados de Polícia Civil do Ceará] publicou nota paga na edição de ontem [9/9/2009] do O POVO, em  “repúdio” às declarações do secretário da Segurança Pública do Ceará, Roberto Monteiro.

No dia anterior, o secretário dissera ao programa “Coletiva”, da TV O POVO, que os policiais civis são “muito mal preparados” e que os delegados “quase na totalidade não apresentam um produto de boa qualidade”, referência aos inquéritos encaminhados pelos delegados à Justiça.

Roberto Monteiro ressalvou que suas críticas tinham o objetivo de apontar as falhas na tentativa de melhorar a polícia – e não de expô-la indevidamente.

A reação do Sindepol foi na jugular do secretário acusando-o de se dar “ao desfrute de denegri-la [a Polícia Civil] publicamente”  e que a declaração de Roberto Monteiro “serviu unicamente para achincalhar uma classe”. E exorta o secretário a conseguir mais recursos humanos e materias para que o trabalho dos policiais possa melhorar.

Por partes:

1. O secretáro não deixou de se autocriticar, pois ao dizer que os policias são pouco preparados e que os delegados não conseguem fazem um inquérito decente, fica óbvio que parte da responsabilidade cabe ao governo do Estado.

2. A nota do Sindepol mostra-se preocupada, não com os problemas apontados pelo secretário, mas pelo fato dele tê-los exposto publicamente. Para os policiais as “críticas negativas […] enfraquecem a instituição policial”. Pelo contrário, a exposição pública dos problemas sinaliza pra a sociedade que o gestor público quer resolvê-los. E o Sindepol, pelo jeito, quer escondê-los.

3. Parece óbvio que a atuação insuficiente da Polícia não se resume apenas à falta de recursos, quaisquer que sejam eles. Recentemente, O POVO publicou matéria mostrando que mais de 70% dos homicídios ficam sem resolução:  a) que entre janeiro e julho deste ano, dos 351 inquéritos de homicíos e tentativas, 189 chegaram ao MPE sem autoria; b) nos últimos seis anos, 500 homicídios, acontecidos somente em um bairro, o Bom Jardim, ficaram sem esclarecimento. Portanto, não se pode atribuir isso somente à falta de maiores investimentos na Polícia, ainda que se reconheça que a instituição trabalhe em condições difíceis.

4. Torna-se cada vez mais difícil aceitar defesas absolutamente corporativas, como faz o Sindepol, sem nada se oferecer à sociedade em termos de proposta, a não ser as queixas. Não há nada a criticar na Polícia? Não há nada em que os policiais possam melhorar, mesmo nessas condições que eles consideram precárias?

Os sindicatos são importantes em uma sociedade democrática, mas passou o tempo em que podiam se dar ao luxo de olhar somente para o próprio umbigo. A sociedade é bem maior do que as entidades corporativas e maior do que o governo do Estado, e tem de estar acima de uma possível diferença que possa haver entre o sindicato e o secretário.

Veja a nota do Sindepol na íntegra.

Sindicato dos Delegados de Polícia Civil do Ceará
SINDEPOL

CNPJ 73.323.826/0001-65

O SINDICATO DOS DELEGADOS DE POLÍCIA CIVIL DO ESTADO DO CEARÁ, por seu Presidente Francisco Lusimar Cunha de Moura e integrantes de sua Diretoria, em repúdio às declarações do Excelentíssimo Senhor Secretário da Segurança Pública e Defesa Social – Dr. Roberto Monteiro -, vem perante a sociedade alencarina esclarecer que: nossos Delegados têm preparo jurídico e profissional sim, suficiente para manter a integridade da Polícia Civil, ainda que o titular da pasta, que dela deveria defender, cuidar, fazer crescer, se dê ao desfrute de denegri-la publicamente. O tempo que o Sr. Secretário destinou a [sic] entrevista que serviu unicamente para achincalhar uma classe, deveria ser utilizado junto ao Excelentíssimo Governador do Estado, reivindicando, dentre outros: cursos para especialização de Delegados; intercâmbios com polícia de outros países que conseguira diminuir índice de criminalidade, obtenção de tecnologia para o desenvolvimento de investigações, aquisição de viaturas descaracterizadas, concurso público par inspetor de polícia e incontáveis outras melhorias. A segurança pública não se constroe [sic] com críticas negativas, até mesmo ofensivas e que, somente enfraquecem a instituição Policial. Segurança Púlica se faz com investimento no homem, em equipamentos, em educação e sobretudo consideração e respeito. [Mantida a pontuação original.]

Recomendado para você