Plínio Bortolotti

Titanzinho x estaleiro: governador Cid Gomes não fala; seus auxiliares agem

725 3

O jornal O POVO traz, na edição de hoje, declaração das duas maiores autoridades do Estado do Ceará sobre a falada instalação de um estaleiro [pra construir navios para a Petrobras] na Praia do Titanzinho, no bairro Serviluz.

Primeiro é o governador Cid Gomes [PSB] afirmando que não dará declarações sobre o assunto enquanto não existirem “fatos concretos” sobre os quais possa opinar.

Depois, a prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins [PT], diz que, “a oprincípio”, é contra, pois o estaleiro concorre com o seu projeto de integrar a orla marítima, mas disse que vai falar com o governador sobre o assunto. Conhecendo-se o modo de trabalho de prefeita – e a sua origem nos movimentos sociais – é bem possível que ela consolide a opinião contra a construção do estaleiro.

Contradição

Mas, o que soa estranho é a afirmativa do governador, de que não vai opinar sobre o assunto por não existir um fato concreto.

Se o governador não quer opinar, ele precisa então avisar os seus auxiliares da Adece [Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará], que são nomeados por ele, e, supõe-se, devem obediência às suas diretrizes.

O presidente da Adece, Antônio Balhmann, pelo menos desde de agosto, vem defendendo com veemência a construção do estaleiro na Praia do Titanzinho, mesmo sem a existência de “fatos concretos”.

Segundo informa a coluna Vertical S/A, assinada por Jocélio Leal no O POVO, o presidente da Adece já disse que o estaleiro “não move uma palha do local” [a Praia do Titanzinho].

Na terça-feira [15/9] houve uma audiência Pública na Câmara Municipal para debater o assunto. E lá estava Eduardo Neves, diretor da Adece, acompanhado de Paulo Haddad,  representante da empresa PMJR, que vai participar da licitação para a construção do estaleiro.

A própria Adece informa em sua página na internet: “O diretor da Adece, Eduardo Neves e o controlador da empresa PMJR, responsável pelo empreendimento, Paulo Haddad, explicaram aos participantes características do projeto”.

O governador, na matéria citada acima, diz que só vai discutir o assunto “se ganhar o projeto virtual” [as empresas vão apresentar propostas de construção do estaleiro].

Ora, mas parece óbvio que decidir se se quer ou não o estaleiro teria de preceder a decisão de participar ou não da concorrência. Por que a Adece se envolve em um projeto que depois será descartado? Por que a Adece se associa a uma das empresas que participarão da licitação [suponho que haverá outras]?

Se uma empresa do porte de uma empresa que tem condições de construir um estaleiro entra em um processo desses não o faz para “testar hipóteses”. Certamente, quererá garantias que seus esforços terão consequencia.

Creio que o debate tem de ser feito e seria interessante que o governador manifestasse a sua opinião sobre o projeto, que ele há de ter uma.

Agora, se o próprio governador não quer falar sobre assunto de tamanha importância e impacto na vida da cidade, parece indevido que auxiliares dele o façam, sem a menor cerimônia.

Veja mais sobre debate a respeito do estaleiro:

Somos soldados do bem.
Estaleiro x Titanzinho. [Com belas fotos do local]
Protesto no Serviluz.

Recomendado para você