Plínio Bortolotti

El País noticia o “Cala a boca, Galvão” – E também o New York Times

98 4

Não entrei na onda do “Cala a Boca, Galvão” que infesta o Twitter. O cara é mesmo um chato, mas o negócio é mudar de canal.

Mas o negócio tomou proporção mundial; saiu matéria na versão online de um dos jornais mais importantes do mundo, o espanhol El País.

Tem algumas passagens hilárias. Nem só o Galvão entra na dança, até desavisados americanos que, perguntando sobre o significado da frase, receberam respostas mais disparatadas dos brasileiros.

Com as desculpas pela tradução, segue abaixo o texto do El País.

¿Cala boca, Galvao?
Do El País

“Cala a boca, Galvão”. A frase, em portugês, está no “Trending Topics” [assuntos mais comentados] mundial do Twitter há pelo menos três dias. Uns dizem que é o novo videoclipe de Lady Gaga; outros que é uma campanha para salvar uma espécie rara de pássaro do Brasil. A verdade é que “Cala boca, Galvão” é uma grande “broma” [piada, brincadeira de mau gosto] dos usuários brasileiros do Twiter – o país em segundo lugar no número de usuários, atrás dos Estados Unidos. Galvão Bueno é um dos comentaristas esportivos mais conhecidos do país do futebol e “cala a boca” significa “cállate la boca”.

A piada começou na cerimônia de abertura na quinta-feira passada, quando Galvão Bueno, jornalista da TV Globo falava sem parar durante a transmissão. Os brasileiros começaram a tuitar a expressão. Depois de algumas horas, a frase estava no pico dos “Trendings Topics”. Os usuários que não sabiam português, os americanos, principalmente, começaram a perguntar o que significava a expressão, e os brasileiros criaram várias versões, todas elas falsas [obviamente para sacanear, além de Galvão, também os americanos].

Uma das histórias inventadas é a versão que “Cala boca, Galvão” é um novo videoclpe da cantora Lady Gaga. Começou outra avalanche de tuítes e notícias que queriam saber onde estaria a versão oficial do vídeo. Pois um brasileiro criou uma. Em um dia obteve mais de 50 mil reproduções.

A versão mais difundida, sem dúvida, é que “Cala a boca, Galvão” faz referência a uma campanha do Galvão Instituto, criado para salvar os pássaros “Galvão”, quase extintos no Brasil. Segundo um vídeo em inglês, postado no Yotube [aparece o ator Nelson Xavier, como um suposto benemérico do instituo,  nos bastidores do Filme sobre Chico Xavier], as aves são assassinadas na época do Carnaval e suas penas são utilizadas nas fantasias. Para cada tuíte, o Instituto ganharia dez centavos. Até agora, mais de 180 mi pessoas viram o vídeo. [Veja no El País]

E não é que foi parar também no New York Times. [Atualizado às 20h45min de 14/6/2010.]

Recomendado para você