Plínio Bortolotti

Pau de arara, transporte “padrão” no interior, mata três estudantes por ano

Estudante corta o pé em rolo de arame farpado levado como carga no pau de arara de transporte escolar. Foto de Edimar Soares (clique para ampliar)

Os frequentes acidentes em caminhões pau de arara, usados como transporte escolar no interior do Ceará  sempre me incomodaram. Muitos desses acidentes provocam a morte de crianças.

Neste blog, e em artigos no O POVO, escrevi várias vezes sobre o assunto. Ainda assim, achava que ficava faltando mais alguma coisa. Resolvi escrever uma reportagem sobre o assunto, tendo em vista  legislação específica que obriga as prefeituras a oferecerem ônibus padronizados para o transporte escolar.

Acidentes

Levantei, em matérias publicadas no O POVO, o número de acidentes nos últimos dez anos (2001-2010) e cheguei a 27 mortes de estudantes no período, contabilizando também 210 crianças e jovens feridos. Em média, são 2,7 mortes por ano.

Mais grave

No primeiro texto que escrevi, disse que os números poderiam ser maiores, pois os acidentes deixam muitos feridos graves – e algum acidente poderia não ter sido registrado. Nos comentário online à matéria, dois leitores deixaram informações de outros dois acidentes fatais.

Autoridades

Concluído o levantamento, falei com representantes do Ministério Público Estadual, com a Secretaria da Educação, com a Associação dos Municípios do Ceará (Aprece) e com o Departamento Estadual de Trânsito (Detran), responsável pela fiscalização dos veículos nas rodovias estaduais.

Viagem

Após isso, fiz uma viagem – acompanhado do motorista Valdir Gomes e do repórter-fotógrafico Edimar Soares – a quatro cidades do interior: Acopiara, Mombaça, Boa Viagem e Monsenhor Tabosa. Verifiquei como os estudantes são transportados e acompanhei os estudantes em cima de dois veículos pau de arara. Conversei também com um casal de agricultores que teve o filho de 10 anos morto em um acidente.

Prefeituras

Falei com representantes de prefeituras que tem “explicações” na ponta da língua para o uso de caminhões pau de arara: estradas intransitáveis para ônibus (as quais eles mesmos são responsáveis pela conservação), extensão do município e falta de recursos.

Governo

Tanto o governo federal como o governo estadual fazem repasses aos municípios para cobrir gastos com transporte escolar. Além disso, existe o programa do governo federal “Caminho da Escola”, que financia veículos padronizados com juros subsidiados, por meio do BNDES. O governo do Ceará, a cada ônibus comprado pelos prefeitos doa outro (até o limite de cinco), sem nenhum custo para a prefeitura.

Veja as matérias

Nos links abaixo, quem estiver interessado pode ler as matérias, com fotografias e vídeos de Edimar Soares. Para fazer a série, tivemos a ajuda inestimável do motorista Valdir Gomes.

Edição de 29/11/2011
• Transporte irregular mata três estudantes por ano no Ceará.
• “Recurso é insuficiente” (justificativa da prefeitura).
• Veja em PDF. (matéria)
• Veja em PDF. (infográfico)

Edição de 30/11/2011
• O perigo a caminho da escola.
• “A situação é complicada” (explicação da prefeitura).
• Veja em PDF.

Edição de 1º/12/2011
• Adalberto, 10 anos, morreu a caminho da escola.
• Um pouco de culpa para cada (a responsabilidade dos órgãos de fiscalização).
• Lei de proteção dos animais para garantir a segurança das crianças (artigo em que comento o assunto).
• Veja em PDF.

• Fotogaleria.

Videos

Caminhão pau de arara leva estudantes em direção à área rural de Acopiara (CE)

Veículos pau de arara no centro de Mombaça (CE) onde deixam estudantes da área rural e os pegam para levá-lo de volta para casa

Em Mombaça, como em outras cidades, os carros são velhos e não oferecem nenhuma segurança.

Recomendado para você