Plínio Bortolotti

Imprensa: “O segredo da pirâmide – Para uma teoria marxista do jornalismo”

Na primeira aula que dou aos estudantes do Curso Novos Talentos O POVO para Estudantes de Jornalismo, do qual sou coordenador, apresento o livro “O segredo da pirâmide – Para uma teoria marxista do jornalismo”, de Adelmo Genro Filho.

Imprensa burguesa

E por que faço isso? Primeiro, para mostrar aos estudantes que a crítica à “imprensa burguesa” não precisa ser feita jogando-se a criança junto com a água do banho – como fazem alguns “professores”, que gostam de se apresentar como “revolucionários” e “críticos do sistema” para impressionar jovens incautos.

Lide

Depois, para combater a tese de que “o lide morreu”, como  gostam de proclamar, inclusive alguns jornalistas, que querem reinventar a roda. Adelmo faz a defesa do lide como uma técnica importante do texto jornalístico, ainda que questione a “pirâmide invertida” como forma de apreensão da realidade

♦     “O lead é uma importante conquista da informação jornalística, pois representa a reprodução sintética da singularidade da experiência individual. As formulações genéricas são incapazes de reproduzir essa experiência.” (AGF)

Gênese

É claro que o livro faz uma severa crítica ao “modo de produção” jornalística, mas também distribui cacetadas às críticas superficiais feitas pela esquerda.

♦    “O jornalismo não pode ser reduzido às suas condições de gênese histórica, nem à ideologia de classe que o trouxe à luz. A noticia é uma mercadoria, mas não é uma mercadoria qualquer” (AGF)

Como se anota na orelha do livro da primeira edição: “Adelmo atribui ao jornalismo um papel revolucionário: o de ser uma forma de conhecimento que, embora historicamente condicionada pelo capitalismo, apresenta potencialidades que ultrapassam esse modo de produção”.

Reedição

Pois bem, mas por que estou dizendo isso agora? É que o livro, lançado originalmente em 1987, nunca havia sido reeditado – o que foi feito agora pela editora Insular. Portanto, um bom momento para se falar nesta obra que mantém a atualidade no que é essencial, ainda que em alguns capítulos se note a marca do tempo.

Adelmo morreu muito jovem, aos 36 anos, logo após a edição de seu livro. A contribuição que ele poderia estar dando, neste período de trevas em que somente consegue se balbuciar PIG para cá e PIG para lá, seria inestimável.

Mais

•  Ainda não vi a nova edição da editora Insular, mas espero que seja mais bem cuidada do que a capa do livro, que não faz justiça ao seu conteúdo.
•  Veja crítica da professora Sylvia Moretzsohn, no Observatório da Imprensa: Atualidade de um clássico.
•  Portal dedicado à obra de Adelmo Genro Filho.
•  “O segredo da pirâmide” pode ser baixado aqui, gratuitamente.

Recomendado para você