Plínio Bortolotti

10 sugestões para escrever roteiros, pelo ganhador do Oscar com “Conduta de risco”

Autor de sucessos como Armageddon (1998) e O Advogado do Diabo (1997), Tony Gilroy é um dos roteiristas mais cotados de Hollywood, com um Oscar de melhor roteiro original com Conduta de Risco, em 2007.

Para o portal da  BBC, ele expôs 10 conselhos para escrever um roteiro bem sucedido. Observando-se as diferenças, algumas das orientações servem também para jornalistas.

1. Consuma cinema
Não acho que se aprenda muito com cursos ou livros. Quem vai ao cinema desde pequeno encheu a vida de narrativas. É algo que está na área mais profunda do ser. Ir ao cinema, ter algo a dizer, ter imaginação e ter a ambição de fazê-lo é realmente tudo o que se precisa. O resto se aprende.

2. Invente histórias, mas que sejam reais
Escrever roteiros é um trabalho de imaginação. Nós, os roteiristas, inventamos histórias. Tudo o que tenho na vida é resultado de ter inventado muita coisa.Mas há algo que se deve compreender bem e que faz a diferença: o comportamento humano. A qualidade da história está diretamente relacionada com a compreensão do comportamento humano. É preciso se transformar em um jornalista para o filme que está tentando criar em sua mente. É preciso investigar, fazer reportagens… cada cena tem que ser real.

3. Comece com uma ideia modesta
As grandes ideias não funcionam. Comece com uma ideia pequena que possa ser expandida.
Com a saga dos filmes Bourne, eu nunca li os livros (uma trilogia de Robert Ludlum), preferi começar do zero. A premissa simples do personagem Jason Bourne é: “Eu não sei quem sou, nem de onde venho, mas talvez eu possa me definir através do que sei fazer”. Construímos todo um universo a partir desta pequena ideia. Isso começa modestamente e vai sendo construindo passo a passo. É assim que se escreve um filme para Hollywood.

Veja os demais itens no portal da BBC Brasil.

Recomendado para você