Plínio Bortolotti

Natercia Rocha e seus “Contos de ir embora”

772 1
Mel e o livro

Mel e o livro

Eu nunca acreditei nessa história de que em um futuro “comunista” deixaria de haver a separação entre trabalho físico e intelectual e que todo mundo seria escritor, artista, etc.

Os homens são diversos e diversas sempre serão as profissões: claro que não defendo o trabalho penoso, mas sempre haverá quem prefira o trabalho físico ao intelectual e vice-versa.

E nem todos poderão ser artistas, pois isso depende do talento – e perseverança. Por óbvio, alguns são tocados pela musa (das artes ou do futebol, por exemplo), mas isso não basta. O talento cobra um preço para sobressair, é preciso trabalho árduo. Talento é uma pedra bruta, pois os deuses podem conceder uma graça, mas nunca a dão completamente de graça.

Natercia Rocha mostra que lapidou o seu talento, escandindo cada palavra em seus seis textos em Contos de ir embora.

O lançamento do livro será no sábado (29/11/2014) no Espaço O POVO de Cultura & Arte (av. Aguanambi, 282), às 17 horas. (Com estacionamento gratuito ao lado da sede do jornal.)

 

Recomendado para você