Política

Deputado pede que PM apure suposta truculência em ação contra parente

133 1
Zé Ailton diz que quer apenas transparência, sem punição dos PMs (Foto: Júnio Pio/AL-CE)

Zé Ailton diz que quer apenas transparência, sem punição dos PMs (Foto: Júnio Pio/AL-CE)

Presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia, o deputado Zé Ailton Brasil (PP) apresentou requerimento para que a Polícia Militar do Ceará apure possíveis exageros em abordagem policial que terminou com a detenção de um parente seu no Crato, no Cariri. Divulgado nas redes sociais, o documento provocou diversas críticas ao parlamentar.

Em julho deste ano, um comerciante que seria primo do deputado foi detido por agentes do Batalhão de Polícia Ambiental do Crato. A ação ocorreu após ser encontrada, no interior de um estabelecimento do parente do deputado, uma arma de fogo irregular. A revista ocorreu após denúncias feitas anonimamente ao batalhão.

Em seu requerimento, Zé Ailton acusa a operação de ter sido truculenta e ter promovido entrada no estabelecimento sem ordem judicial. Ele também destaca que é pré-candidato à Prefeitura do Crato e que sua relação com o comerciante é conhecida no município.

“Procedimento padrão”

Procurado pelo O POVO, o deputado negou ter feito o pedido com o objetivo de punir os policiais envolvidos ou de beneficiar seu parente. Ele afirma que apenas encaminhou a denúncia para a Polícia Militar, que seria procedimento padrão para todos os pedidos do tipo feitos na Comissão de Direitos Humanos.

“Eu só cobrei que houvesse transparência, como sempre venho fazendo ao longo da minha presidência na comissão. Sempre que chega uma denúncia, sendo primo ou não, encaminho para apuração”, diz. “Mas jamais pedi punição para ninguém. O ofício deixa isso bem claro, de que o que queremos é que se apure e se esclareça tudo com transparência”.

O deputado destaca ainda ter “grande respeito” pela PM do Ceará, mas que precisa responder a demandas da sociedade. “Qualquer denúncia que chega a mim com fundamentos será encaminhada. De todos os cidadãos. Mas não pedi qualquer penalidade”, diz, destacando que pode ser alvo de perseguição no município por ser candidato neste ano.

Recomendado para você