Política

Saiba como será a eleição que vai levar um cearense à presidência do Senado

280 5
Senador Eunício Oliveira deve chegar à presidência do Senado nesta quarta (Foto: Senado Federal)

Senador Eunício Oliveira deve chegar à presidência do Senado nesta quarta (Foto: Senado Federal)

A partir das 16 horas desta quarta-feira, 1°, ocorre a eleição da Mesa Diretora do Senado Federal, em Brasília. Os votos serão dados através de urna eletrônica, para dar agilidade à apuração do resultado, que vai ser exibido imediatamente no painel eletrônico da Casa. Concorrem à presidência o senador cearense Eunício Oliveira (PMDB) e José Medeiros (PSD-MT).

O rito da eleição no Senado é um pouco diferente de como ocorre na Câmara dos Deputados, cujo pleito acontece nesta quinta-feira, 2. Na primeira reunião do ano, chamada de preparatória, escolhe-se apenas o presidente. Na terceira sessão do ano, realizada após nova sessão solene, são eleitos os demais membros da Mesa Diretora – dois vice-presidentes, quatro secretários e quatro suplentes. Caso haja chapa única no dia da votação, os nomes precisam apenas ser referendados pelos colegas.

Depois de eleito, o presidente do Senado é empossado e passa a convocar e presidir as sessões, designar a ordem do dia, propor a transformação de reuniões públicas em secretas e ser porta-voz das decisões da Casa. Em suma, ele tem poder sobre todos os temas que entram na pauta.

Quem se eleger presidente do Senado se tornará a segunda pessoa na linha sucessória do governo, atrás apenas do presidente da Câmara. O presidente do Senado tem direito a uma residência oficial na Península dos Ministros (área nobre de Brasília) e a uso ilimitado de aviões da Força Aérea Brasileira (FAB). O salário do presidente equivale ao salários dos demais senadores.

Eunício Oliveira

Aliado do presidente da República Michel Temer (PMDB), Eunício é o favorito para o cargo. Além disso, o cearense tem o apoio dos correligionários, que somam 21 senadores, e de partidos da base aliada.

Líder do PMDB, Eunício é senador desde 2011. Antes, havia sido deputado federal em três legislaturas (de 1999 a 2010). Na Câmara, ele foi líder do PMDB entre 2003 e 2004 e vice-líder do partido em diversas oportunidades. Em 2004, foi ministro das Comunicações, cargo que ocupou até 2005.

José Medeiros 

José Medeiros disputa a presidência com Eunício (Foto: reprodução / Facebook)

José Medeiros disputa a presidência com Eunício (Foto: reprodução / Facebook)

Sem o apoio da maioria dos senadores, Medeiros faz campanha pela democracia. “Um grupo de senadores colocou uma candidatura à presidência do Senado porque só tinha uma. A gente sente que o anseio das ruas é que o Senado seja radicalmente democrático. E para fazer democracia é preciso fazer uma eleição”, afirmou em vídeo publicado na sua página do Facebook.

O senador tem uma curta trajetória no Senado. Ele era suplente do então senador Pedro Taques e chegou à Casa depois que o titular venceu a disputa para o governo de Mato Grosso, em 2015. No ano passado, depois que Temer assumiu a Presidência da República, Medeiros se tornou vice-líder do governo na Casa. Entre as comissões que Medeiros participou está a do impeachment de Dilma Rousseff.

Com informações da Agência Brasil

 

Recomendado para você