Política

Voto de Eunício em Lula abre crise no bloco de oposição

Gaudêncio é braço-direito de Eunício no PMDB local (Foto: Fábio Lima/O POVO)

Gaudêncio é braço-direito de Eunício no PMDB local (Foto: Fábio Lima/O POVO)

Declaração de Eunício Oliveira (PMDB) onde o senador afirma ser eleitor de Lula (PT) em 2018 abriu crise no bloco de oposição do Ceará. A tese, já conhecida nos bastidores da política local, foi confirmada nesta terça-feira, 24, pelo ex-vice-prefeito de Fortaleza, Gaudêncio Lucena (PMDB).

“[A fala] criou certa animosidade em integrantes de partidos de oposição, no caso o PSDB, PR, Solidariedade, PMB e PSD”, disse, em entrevista à Rádio O POVO/CBN. Gaudêncio destaca, no entanto, que a crise ocorreu por “mal entendido”, uma vez que a fala de Eunício condiciona o apoio ao petista à inexistência de qualquer outro acordo em nível local ou nacional.

“Ele respondeu com uma série de condicionantes: Se não houvesse candidatura própria do PMDB à Presidência, se não houvesse aliança nacional com o PSDB em uma chapa para presidente, e até se não houvesse uma aliança local que o obrigasse. Só assim não restaria outra opção senão votar no Lula”, diz.

Gaudêncio destaca ainda que, em todo caso, a prioridade é para manter o bloco de alianças da oposição no Ceará. “Primeiro vamos discutir com quem é nosso aliado, com quem faz parte da nossa coligação. Se não tiver acordo, uma composição, aí sim poderemos pensar em outra possibilidade”, disse.

Recomendado para você