Política

Alexandre Frota diz que se tornou persona non grata no Governo Bolsonaro

26804 2

Crise instaurada antes mesmo da posse, o Caso Fabrício Queiroz afasta mais um aliado do presidente Jair Bolsonaro (PSL). Alexandre Frota (PSL) usou as redes sociais nesta quinta-feira, 14, para atacar o governo que apoiou – e de quem recebeu apoio – durante a campanha. Ele revelou ainda ser persona non grata no Executivo nacional.

Deputado compartilhou mensagens com foto na Câmara vazia

No mês passado, durante pronunciamento em plenário, o político defendeu a prisão do ex-assessor de Flávio Bolsonaro. O servidor foi flagrado pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) fazendo movimentações atípicas na própria conta. O caso levantou suspeitas de que ele coordenava, a mando do senador, um esquema de “laranjas” no gabinete.

“Hoje, depois de 4 anos de dedicação, recebi a informação que sou persona não grata no Governo Bolsonaro por eu defender a prisão do Queiroz, que confessou rachar os salários de funcionários e por ter pedido o afastamento do senador para ele apenas se defender”, relatou o deputado federal.

Mais tarde, o político voltou a falar sobre a família Bolsonaro. “Hoje encontrei o Flávio Bolsonaro, ele me confirmou que o pai ficou chateado comigo. Foi a terceira pessoa que veio me dar o recado. Ok, recado dado. Mas eu continuarei lutando aqui”, disse citando o presidente Bolsonaro.

Recomendado para você