Política

Bolsonaro e Paulo Guedes entregam juntos texto da reforma dos militares

Foto (Agência Brasil)

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) e o ministro da Economia, Paulo Guedes, estão a caminho do Congresso para entregar o texto da reforma previdenciária dos militares.

A proposta é o único empecilho para o início do trâmite da PEC da Previdência, que deve dar entrada hoje ainda ou no início desta quinta-feira na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados, primeira etapa da apreciação da medida na Casa.

Bolsonaro, que chegou de viagem hoje, passou a manhã e parte da tarde discutindo a versão final da proposta de reestruturação da carreira dos militares, que faz parte do mesmo pacote que estabelece a inclusão dos integrantes das Forças Armadas no regime geral da Previdência.

Hoje, os militares se aposentam com 30 anos de serviços prestados. Pela reforma, esse tempo passaria para 35 anos.

Além disso, a alíquota de contribuição seria aplicada de forma escalonada, indo de 7,5% para 8,5% em 2020 e para 10,5% a partir de 2022.

A proposta também estipula que pensionistas irão contribuir para a Previdência.

A economia estimada pelo Governo com as mudanças na aposentadoria dos militares é de aproximadamente R$ 110 bilhões.

Os reajustes nas carreiras, porém, como mostrou o jornal “O Globo” hoje, devem ter impacto nos cofres públicos de cerca de R$ 101 bilhões.