Política

PT afirma que Temer é golpista “deplorável”, mas Lava Jato faz “espetáculos pirotécnicos”

1092 1

(Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado)

A deputada federal e presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, e os líderes do partido na Câmara dos Deputados e no Senado,  Paulo Pimenta e Humberto Costa, respectivamente, disseram em nota que desejam que as prisões do ex-presidente Michel Temer (MDB) e do ex-ministro de Minas e Energia, Moreira Franco, tenham sido decretadas com base em “critérios consistentes”.

LEIA TAMBÉM: “É uma barbaridade”, diz Michel Temer ao ser preso

Conforme as lideranças, embora Temer tenha assumido a Presidência em “golpe deplorável”, é somente pela lei que se poderá aplicar a verdadeira Justiça e punir criminosos.

“Caso contrário, estaremos diante de mais um dos espetáculos pirotécnicos que a Lava Jato pratica sistematicamente, com objetivos políticos e seletivos”, diz o comunicado.

Confira nota na íntegra:

“O Partido dos Trabalhadores espera que as prisões de Michel Temer e de Moreira Franco, entre outros, tenham sido decretadas com base em fatos consistentes, respeitando o processo legal, e não apenas por especulações e delações sem provas, como ocorreu no processo do ex-presidente Lula e em ações contra dirigentes do PT.

Temer assumiu a Presidência em um golpe deplorável. Sua agenda no governo levou ao aumento da desigualdade e da miséria, no entanto  é somente dentro da lei que se poderá fazer a verdadeira Justiça e punir quem cometeu crimes contra a população. Caso contrário, estaremos diante de mais um dos espetáculos pirotécnicos que a Lava Jato pratica sistematicamente, com objetivos políticos e seletivos.

O que fica evidente é que, cumpridos os objetivos do golpe do impeachment de 2016 e da proibição ilegal a Lula de concorrer as eleições de 2018, seus principais artífices estão sendo descartados pelos que realmente movimentaram os cordéis: o sistema financeiro, os representantes dos interesses estrangeiros no país, com o apoio da mídia conservadora. Isso vale para a própria Lava Jato e seu comandante, Sergio Moro, que travam hoje uma encarniçada luta pelo poder contra o Congresso, o Supremo Tribunal Federal e a cúpula da PGR”.

Recomendado para você