Política

Moro diz que Maracanaú ficou fora de programa por “ruído” entre governo e pasta de Theophilo

6120 6
Sergio Moro disse que a ideia é expandir projeto-piloto para outras cidades do País (Foto: Reprodução)

Sergio Moro disse que a ideia é expandir projeto-piloto para outras cidades do País (Foto: Reprodução)

O ministro Sergio Moro (Justiça e Segurança Pública) disse nesta quarta-feira, 8, que “ruído” entre a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) e o Governo do Ceará influenciou na exclusão de Maracanaú da lista de cidades beneficiadas por projeto-piloto de segurança pública do governo federal.

“Houve alguma espécie de ruído entre a Secretaria Nacional de Segurança Pública e governo do estado do Ceará, ruído que, ao meu ver, é uma coisa pequena, mas aí acabou se optando por outra cidade, no estado de Pernambuco”, disse Moro, respondendo questionamento do deputado Capitão Wagner (Pros-CE).

Inicialmente, o município da Região Metropolitana de Fortaleza estava entre as cinco cidades prioritárias para o programa, mas acabou sendo substituída por Paulista (PE). Na época, a troca foi atribuída a rusgas entre o estado e a Senasp, comandada por Guilherme Theophilo, que disputou eleição contra Camilo Santana (PT) em 2018.

Em audiência na Comissão de Segurança Pública da Câmara, o ministro destacou ainda que a escolha dos municípios seguiu critérios técnicos: “Incidência de crimes, capacidade e avaliação estratégica de nossa atuação naquele município, proximidade ou não de órgãos nossos como a PRF, a PF, e até a questão fiscal, porque vai ter que ter participação do estado e do município”.

A exclusão de Maracanaú provocou revolta entre lideranças políticas da região. De um lado, segmento ligado ao ex-prefeito e deputado federal Roberto Pessoa (PSDB) responsabilizam a gestão Camilo Santana pelo ruído. Do outro, grupo do deputado estadual Julio César Filho (PPS) joga a culpa para a pasta de Theophilo. O debate acabou virando briga na Assembleia Legislativa.

Apesar de confirmar o “ruído”, Moro minimizou a questão. “É um projeto que nós queremos expandir, queremos levar para várias cidades, mas atentando à presente necessidade de que não podemos fazer logo de início algo tão abrangente assim, o que não significa que essas políticas se limitem a esses municípios”, disse Moro.

Recomendado para você