Política

Roberto Cláudio critica quem já se coloca como pré-candidato à Prefeitura de Fortaleza em 2020

1620 1

O prefeito de Fortaleza disse considerar “falta de responsabilidade com a própria cidade” antecipar o debate eleitoral (Mauri Melo/O POVO)

 

O prefeito Roberto Cláudio (PDT) disse considerar “ um desserviço e pouca compromisso com a cidade” o fato de alguns políticos já começarem a se apresentar como pré-candidatos a sucessão da Prefeitura de Fortaleza, em 2020. “Não é razoável pessoas da área pública, às vezes recém eleitas e com mandatos, estarem antecipando esse processo, porque esse é o tempo de servir às pessoas”, criticou.

Indagado se estava se referindo ao deputado federal Capitão Wagner (Pros), primeiro a se apresentar a sucessão prefeitural, o pedetista desconversou. “Não vou citar nome de ninguém. Tem uns quinze nomes rodando na imprensa”, afirmou. A antecipação do debate, continua o prefeito,  é “uma falta de responsabilidade com o próprio tempo das coisas e com a própria cidade, que tem suas prioridades”.

Por essa razão, a legenda brizolista deve adiar o debate sobre a sucessão e “só tratar disso próximo ano, no momento certo e adequado”. Segundo Roberto Cláudio, a prioridade agora são debates políticos, dentro do partido, sobre a cidade e a gestão  com o objetivo de discutir “o que foi conquistado até agora, quais são as marcas importantes desses sete anos e, ao mesmo tempo, o que precisa ser feito para o futuro”.

Porque esse é o tempo de servir às pessoas, nós temos que nos dedicar a entregar plenamente o que a gente prometeu, realizar transformações. É um desserviço à cidade eu estar protagonizando ou alimentando um debate de sucessão eleitoral, até porque têm muitos serviços para serem feitos que demandam da gente e tirar o foco disso é abrir mão da responsabilidade primária da nossa tarefa”, enfatiza Roberto Cláudio.

A filiação de possíveis candidatos a vereadores também está no horizonte do PDT, que deve se concentrar nisso até abril de 2020. “Depois de abril, a gente começa a conversar sobre eleição majoritária”.