POPssauro

Arquivos do autor Fernando Diego Sioli

Irreplaceable de Beyoncé completa 12 anos de lançamento

Lançado como terceiro single do “B’day”, em 23 de Outubro de 2006, “Irreplaceable” de Beyoncé foi o maior hit do álbum. Sendo o 4º número 1 da cantora nos Estados Unidos.

Originalmente, a música seria uma balada country que foi repaginada como R&B mid-tempo, para ficar na linha musical do animado segundo álbum solo da cantora.

VEJA TAMBÉM: As 10 Melhores Músicas Pop de 2006

“Irreplaceable” ainda virou uma febre por sua letra e clipe, onde Beyoncé dá um fora no seu parceiro e no relacionamento abusivo. Poderosa, ela deixa claro que não precisa de um homem pra ser bem sucedida e ser feliz.

Relembre o single Irreplaceable de Beyoncé no player abaixo:

10 Músicas de filmes que fazem a gente chorar

Sob influencia do lançamento do filme musical “Nasce Uma Estrela”, com Lady GaGa e Bradley Cooper nos papéis principais, que já tem quatro hits de sua trilha sonora. Resolvemos listar 10 canções de filmes que nos fazem chorar…

10. I’ll Never Love Again de Nasce Uma Estrela

Quando “I’ll Never Love Again” toca no filme traz uma das cenas mais tristes. Os vocais de Lady GaGa trazem emoção, tristeza, melancolia e ao mesmo tempo, uma grande emoção que é difícil não sair com o coração apertado do cinema.

9. Cry de Um Amor Para Recordar

“Um Amor Para Recordar” foi um grande sucesso adolescente de 2002 e que trouxe “Cry” na voz de Mandy Moore, que também protagoniza o filme. A música foi lançada como terceiro single do primeiro álbum da cantora.

8. The Winner Takes It All de Mamma Mia!

Na voz de Meryl Streep, Dona canta o término de relacionamento e todas suas perdas quase no final do musical Mamma Mia! de 2008. “The Winner Takes It All” foi o primeiro single do sétimo álbum do grupo ABBA, chamado “Super Trouper” de 1980.

7. I Dreamed A Dream de Les Misérables

O papel de Fantine era pequeno mas fez de “I Dreamed A Dream” um dos pontos mais altos da adaptação da peça “Les Misérables” de 2012. A performance de Anne Hathaway foi gravada ao vivo e mostra o puro lamento da personagem.

6. Unchained Melody de Ghost

Existe vida depois do amor? Só o tema do filme “Ghost” de 1990 já faz a lágrima querer pular dos nossos olhos. E “Unchained Melody” só faz essa vontade aumentar. A música, na verdade, é uma canção popular dos Estados Unidos e a versão do filme foi lançada em 1965 pelos The Righteous Brothers.

5. See You Again de Velozes e Furiosos 7

“See You Again” foi lançada em tributo ao ator Paul Walker, estrela da franquia Velozes e Furiosos, que faleceu em 2013. A música é uma parceira do rapper Wiz Khalifa e Charlie Puth. No filme, a música aparece no final emotivo, que incluía a última cena feita pelo ator e cenas antigas da franquia.

4. And I Am Telling You I’m Not Going de Dreamgirls

Depois de ser expulsa do grupo e seu marido pedir a separação, Effie White canta seu lamento com a alma. Jennifer Hudson ganhou o oscar pela música e fez o drama do filme despontar. “DreamGirls” é uma adaptação da peça da broadway de mesmo nome e já tinha feito bastante sucesso em 82 na voz de outra Jennifer, a Holliday.

3. Come What May de Moulin Rouge

Cantada por Nicole Kidman e Evan McGregor em Moulin Rouge, a música é o último ponto alto do filme e fortalece ainda mais o amor entre Satine e Christian. Originalmente, “Come What May” foi escrita para ser parte da trilha sonora de outro filme do diretor Baz Luhrmann, Romeo + Juliet.

2. I Will Always Love You de O Guarda-Costas

O filme “O Guarda-Costas” de 1992 com Whitney Houston e Kevin Costner, foi um grande sucesso de público. Somente a trilha sonora conseguiu ficar 20 semanas no #1 da Billboard Hot 200. A regravação de “I Will Always Love You” ficou 14 semanas no Hot 100 e é a 6ª música mais vendida.

1. My Heart Will Go On de Titanic

Celine Dion deu voz ao som que fez você lembrar do amor de Rose e Jack em “Titanic” de 1997. A música passa exatamente o tom do filme, a leveza e melancolia misturado à força e tragédia. Difícil não lembrar das cenas de um dos maiores clássicos do cinema quando escuta “My Heart Will Go On”.

As 10 Melhores Músicas Para Namorados

Não Para Não: Crítica do segundo CD da Pabllo Vittar

631 3

Depois do primeiro álbum, chamado “Vai Passar Mal” de 2017, o segundo CD da Pabllo Vittar chegou com tudo. O CD intitulado de “Não Para Não” foi ganhando forma através das redes sociais e com o lançamento do primeiro single “Problema Seu”.

O clipe, mega-produzido, do single de estreia virou um evento, quando foi lançado com a música em Agosto deste ano. A capa também ganhou muito destaque pela ousadia e extravagância.

VEJA DETALHES: Pabllo Vittar sobe nível da brincadeira com Problema Seu

Todo esse “hype” se tornou uma bomba e aliou-se às 10 músicas do álbum, que misturou ritmos originais do Brasil, como forró e axé, com sons mais contemporâneos vindo do Hip Hop, Eletro e R&B. Além, claro, das letras poderosas e criativas, que remetem às letras de Sertanejo e Brega.

O sucesso da estreia foi tanto que o álbum bateu o recorde de único álbum de estreia com todas as músicas entre as 40 mais ouvidas do Spotify. Agora é hora de analisar cada uma das músicas! Vem com a gente!

Confira a seguir as notas e comentários sobre cada uma das músicas de “Não Para Não” de Pabllo Vittar:

1. Buzina: A animação da uptempo não deixa a desejar e parece pronta para tocar na balada. Misturando eletrobrega com trap, a música parece ter sido produzido pela nossa saudosa Banda Uó. Foi inteligente ter começado primeiro, já que é uma das mais fracas do álbum. Ou melhor, uma das menos fortes. haha Nota: 8,0

2. Seu Crime: Mais uma experiência que deu certo, o saxofone de calypso e sons de hiphop. A segunda música parece até uma colaboração de Joelma com Dua Lipa. Cantando “Seu crime foi me amar”, a Pabllo está mesmo destruindo corações. Nota: 9,0

3. Problema Seu: Traz bem o tema da música anterior, mas o som de Axé misturado com R&B inovou o ritmo e poderia se tornar o hit do próximo carnaval. Nota: 9,0

4. Disk Me: A primeira mais lenta do álbum é a típica música de amor perdido. Seria perfeita para alguma banda de pagode ou sertanejo universitário, mas com o brilho Pop, “Disk Me” é perfeita pra voz de Vittar. Nota: 9,0

5. Não Vou Deitar: O forró do álbum segue os passos das baladas anteriores, com as letras de término de relacionamento, o que tira um pouco a qualidade por acabar sendo repetitiva, em comparação com as outras. Talvez funcione melhor escutando sozinha. Nota: 7,5

6. Ouro (feat. Urias): Apresentando a Urias, sua amiga e também drag, “Ouro” tem um som mais praiano e dá pra dançar coladinho. Apesar da letra não ser profunda a música pega pelo ritmo. Nota: 8,0

7. Trago Seu Amor De Volta (feat. Dilsinho): Dessa vez, nós já entendemos que as misturas vão continuar. E o dueto entre Vittar e Dilsinho funciona muito bem, principalmente quando a voz do cantor de pagode aparece junto com o tom mais alto de Pabllo. Nota: 8,0

8. Vai Embora (feat. Ludmilla): Aqui começam as pérolas do álbum. Pelo visto, a estratégia foi coloca-las pro final para que pudessem ser usadas depois como singles. “Vai Embora” é aquela música chiclete, mas que pela força do significado não enfraquece. Ludmilla passeia em seu mesmo estilo, o funk, e seria legal escutá-la com um arranjo diferente. Mas a música é uma das melhores. Nota: 10,0

9. No Hablo Español: Agora pegando ritmos mais latinos, como Lambada, Pabllo brinca com vários elementos que mexem com a sensualidade latina, como corpo, língua e uma amante feminina. Nota: 10,0

10. Miragem: Um ritmo muito parecido com o eletrobrega, como o de Gaby Amarantos por exemplo. Em “Miragem”, Pabllo usa a voz de formas de diferentes e faz a música subir a um nível diferente do Pop. Uma surpresa incrível fechando o álbum. Nota: 10,0

ESCUTE O “NÃO PARA NÃO” COMPLETO NA PLAYLIST ABAIXO:

A sensação é que em “Não Para Não”, Pabllo conseguiu trabalhar mais em cada uma das faixas. E deixou o trabalho mais coeso do que o álbum de estreia, que possuía músicas muito boas e outras mais regulares. As misturas do álbum mostram muita maturidade na produção e uma experiência inovadora. Eu sugiro até que a turnê seja: “A Experiência Pabllo Vittar”.

Vale colocar nas suas playlists: Seu Crime, Problema Seu, Disk Me, Vai Embora, No Hablo Español e Miragem.

Álbum Sandy & Júnior de 2001 completa 17 anos de lançamento

Antes de Beyoncé, outra dupla de artistas criou o álbum auto-intitulado! Sandy & Júnior lançou o disco com seu nome em 2001, e firmaram a carreira. Relembre com a gente os melhores momentos dessa era…

Em 2001, Sandy & Júnior eram os reis do entretenimento no Brasil, após o sucesso da turnê “As Quatro Estações”, protagonistas da novela das seis da Rede Globo, “Estrela-Guia”, um programa ficcional aos domingos e centenas de produtos licenciados, o ótimo novo álbum só reafirmou os irmãos como os melhores.

O lançamento do 11º álbum da dupla aconteceu no dia 8 de Outubro de 2001, poucos dias após o atentado terrorista dos EUA em 11 de Setembro, que chocou o mundo. Coincidentemente, o título do álbum deveria ser 11, mas por conta do atentado eles decidiram lançar como um álbum auto-intitulado. O último álbum de estúdio de 2006, também levaria somente o nome da dupla.

VEJA TAMBÉM: O Pop Nacional de Sandy & Júnior

Já o single “O Amor Faz” já teria sido lançado em Setembro daquele ano e já apresentou o público o que viria ser a nova era. A música era um pop romântico perfeitamente produzido. O clipe serviu também para as fotos do encarte do álbum.

“O Amor Faz” foi a única música de trabalho que ganhou um clipe oficial. Principalmente, porque todo domingo a dupla apresentava um clipe no seriado. Deixando os fãs na dúvida de qual seria a melhor música do álbum.

Os próximos singles foram, a dançante “A Gente Dá Certo” e a também romântica “Quando Você Passa (Turu Turu)” que se tornou um dos maiores sucesso do álbum, chegando ao 2º lugar nas paradas de sucesso, mesmo depois de cinco meses do lançamento do disco.

Entre as faixas, temos versões mais atuais de músicas como “Chuva de Prata” da cantora Gal Costa e de “Endless Love” de Diana Ross e Lionel Richie. A compositora Diane Warren faz parte do álbum com “A Estrela Que Mais Brilhar” e “Me Leve Com Você”, com versões traduzidas pela própria Sandy.

A primeiro música do CD, era “Não Dá Pra Não Pensar”, que se tornou uma das marcas registradas, sendo a trilha sonora do seriado e abrindo os shows.

Entre as mais divertidas temos “Deixa Eu Tentar”, que traria uma das melhores performances da dupla ao vivo e “Baby, Liga Pra Mim”, com participação do ator Rodrigo Santoro.

Um outro grande sucesso, e o último single do álbum foi uma composição da cantora e fã da dupla Liah Soares, “Nada É Por Acaso”. A música se tornou uma das favoritas dos fãs e Sandy canta até hoje em seus shows solo.

O “Sandy & Júnior” consolidou a carreira adulta da dupla de forma brilhante e marcou a música brasileira. Com músicas boas, performances consistente e um carisma especial sem arrogância, eles abriram os caminhos para a carreira internacional, que começaria em 2002.

10 Versões originais das músicas de Sandy & Júnior

Lady GaGa libera sua versão de I Want Your Love da banda Chic de 1978

O ano de 2015 foi um ano diferente para Lady GaGa, que colhia os futuros do álbum de Jazz com Tony Bennett, “Cheek To Cheek”. Porém, a diva flertou com a música Disco dos Anos 70, com um cover de “I Want Your Love” da banda Chic,

A versão foi criada para a propaganda da coleção Primavera/Versão 2016 da marca Tom Ford e apareceu em um vídeo da cantora com vários modelos.

Agora, a versão finalizada apareceu no álbum de Chic e Nile Rodgers, chamado “It’s About Time”. Provavelmente, a música seria um ótimo single de Gaga, pela qualidade vocal e musical.

Confira a versão de Lady Gaga para “I Want Your LOve” de 1978 no player abaixo:

A versão original da banda Chic foi lançada como segundo single do álbum “C’est Chic”, e seria o single seguinte ao hit “Le Freak”.

A música fez um enorme sucesso na noite americana, sendo número um na parada Billboard Dance Club Songs e chegou ao número 7 do Hot 100 da Billboard. Confira a versão original de “I Want Your Love” no player abaixo:

Rouge continua a Nova Era com Dona Da Minha Vida; Veja o clipe

O Rouge realmente é um grupo formado por mulheres de palavra. Elas disseram que voltariam! Elas disseram que iriam fazer um show comemorativo! Elas disseram que a Nova Era Rouge começou! E aqui estamos: Nova Música & Programação para Nova Turnê e Novo Álbum! Isso! Assim mesmo! Tudo novo!

Empoderadas e entendendo o lugar de cada uma, Aline Wirley, Karin Hils, Fantine, Li Martins e Lu Andrade liberaram a música e o clipe de “Dona Da Minha Vida”.

VEJA TAMBÉM: 10 músicas do Rouge que você precisa conhecer

Na música, como o título sugere, o grupo traz uma mensagem de empoderamento. Porém com muito mais significado para as mulheres. A sonoridade e arranjos mais maduros e modernos dão o tom do novo trabalho.

“Dona Da Minha Vida” foi lançada nas mídias digitais simultaneamente com o videoclipe no Youtube. O vídeo traz cenas com o quinteto em cima de um prédio ao amanhecer, como mostrado nos teasers das redes sociais.

O que mais chamou atenção foram cenas de outras mulheres sofrendo misoginia. Além, do final com um figurino branco, inspirado no grupo Fifth Harmony em “That’s My Girl”, como Fantine divulgou na Live do grupo na noite do lançamento.

Veja o videoclipe de “Dona Da Minha Vida” do Grupo Rouge no player abaixo:

10 Versões originais das músicas de Sandy & Júnior

A maior dupla de música Pop e romântica do Brasil nos Anos 2000 trouxe várias versões novas de músicas em outras línguas e até releituras de sucessos antigos do Brasil. Confira a seguir, as versões originais das melhores músicas de Sandy & Júnior

Com Você é I’ll Be There dos The Jackson 5

Em 1994, a dupla lançou a versão “Com Você” no álbum “Pra Dançar com Você” como single principal. A música original é “I’ll Be There”, que foi o primeiro single do terceiro álbum grupo Jackson 5, lançado em 1970. E ficou famosa nos anos 90 pela interpretação de Mariah Carey, que cantou a música junto com Trey Lorenz no acústico MTV de 1992.

A música de Sandy & Júnior ainda tem a última versão em inglês como na original. Uma curiosidade é que os pais da dupla, Noely e Xororó compuseram a letra em português junto com o produtor Feio.

Não Ter é Non’ Che de Laura Pausini

“Não Ter” foi um dos maiores sucessos românticos de Sandy & Júnior ainda crianças. A música foi lançada como single do “Dig Dig Joy”, sexto álbum da dupla, lançado em 1996. Já a original “Non’ Che” de Laura Pausini foi lançada em 1994, como segundo single do disco de estreia da italiana.

Como um Flash é Flashdance… What a Feeling de Irene Cara

“Como Um Flash” foi lançada também no álbum “Dig Dig Joy” e ficou mais conhecida por ser a música de abertura do primeiro do show registrado da dupla, “Era Uma Vez… Sandy & Júnior Ao Vivo” de 1998. “Flashdance… What A Felling” de Irene Cara foi criada pelo famoso produtor e DJ Giorgio Moroder para o filme “Flashdance” de 1983.

Etc e Tal é Any Man Of Mine de Shania

O lead single do álbum “Dig Dig Joy” foi “Etc e Tal”, um country divertido, que se tornou um grande sucesso infantil, principalmente pela letra. A música é uma versão de “Any Man Of Mine” de Shania Twain, que foi lançada como segundo single do “A Woman In Me”, seu segundo álbum de estúdio.

Inesquecível é Incancelabille da Laura Pausini

Mais uma vez uma versão da Laura Pausini na voz da dupla mais amada do Brasil faz um grande sucesso. Dessa vez, “Inesquecível” foi lançada como segundo single do sétimo álbum de estúdio de Sandy & Júnior, chamado “Sonho Azul”, de 1997. “Incancellabile” foi lançada em 1996, como single principal de seu quarto álbum “Le Cose Che Vivi”.

A música em português foi adaptada por Claudio Rabello e também foi gravada por Pausini que a lançou como seu primeiro single brasileiro e divulgada na versão brasileira do álbum.

Pout-Pourri Bee Gees é More Than a Woman/Night Fever/Stayin’ Alive

As músicas do grupo Bee Gees perderam seu ar disco e ganharam uma pegada country no álbum Sonho Azul dos irmãos. As músicas utilizadas no Pout-Pourri foram “More Than A Woman” que virou “Mais Que Uma Sombra” (???), “Night Fever” se tornou “Troque A Pilha” e “Stayin’ Alive” virou “Esteja No Ar”.

No Fundo Do Coração é Truly Madly Deeply da Savage Garden

Lançado como single do álbum “Era Uma Vez… Ao Vivo” em 1998, “No Fundo Do Coração” se tornou um sucesso instantâneo de Sandy & Júnior. E marcou a passagem da dupla pra um som mais maduro. A música original chamada “Truly Madly Deeply” da Savage Garden e foi lançada um ano antes como terceiro single do primeiro álbum da banda australiana.

Imortal é Immortally de Celine Dion

“Imortal” foi o primeiro single de um dos álbuns mais icônicos de Sandy & Júnior lançado em 1999, “As Quatro Estações”. A música original, “Immortality”, é de Celine Dion e composta pelos Bee Gees, lançada como sexto single do álbum “Let’s Talk About Love” de 1997, com participação do grupo.

Príncipe dos Mares é Como Sueñan Las Sirenas de Ana Torroja

Apesar de não ter sido single, “Príncipe dos Mares” é uma favoritas dos fãs e foi apresentada várias vezes como clipe do seriado dominical “Sandy & Júnior” na Globo. A música é uma versão de “Como Sueñan Las Sirenas” de Ana Torroja. Que faz parte de “Puntos cardinales”, primeiro álbum da cantora espanhola lançado em 1997. 

Love Never Fails veio da original de Kathie Lee Gifford

Apesar de pouca gente saber, “Love Never Fails” é uma versão da original da cantora e apresentadora Kathie Lee Gifford. A música havia sido lançada como single em 2000 no álbum “Heart Of A Women” e ganhou a repaginada com a dupla em 2002.

Gostou da nossa lista de Sandy & Júnior? Qual música você sentiu falta, conta pra mim nos comentários que podemos fazer uma listinha de Bonus Track aqui no post.

O Pop Nacional de Sandy & Júnior

20 anos do lançamaneto de Drowned World/Substitute for Love de Madonna

Hoje, dia 24 de Agosto de 2018, “Drowned World/Substitute for Love” de Madonna completa exatamente 20 anos de lançamento do single.

“Drowned World/Substitute for Love” é a primeira faixa do sétimo álbum de Madonna, “Ray Of Light”, e considerada pela cantora a música mais importante do álbum. Ela foi muito bem recebido pelos fãs e pela crítica, que recebeu a sonoridade que misturava sintéticos com guitarras e baterias muito bem.

Sendo lançado como terceira música de trabalho, após “Frozen” e “Ray”, o single também deu nome à turnê que divulgava os álbuns “Ray Of Light” e “Music”. A “Drowned World Tour” foi registrada e virou um dos DVDs mais amados pelos fãs.

LEIA TAMBÉM: Duas décadas de Luz: Álbum Ray Of Light de Madonna faz 20 anos

O single foi um grande sucesso no Reino Unido e em outros países da Europa, como Espanha. Impulsionado principalmente pelo videoclipe. O vídeo do single mostrava Madonna sendo perseguida por Paparazzis. Cenário muito parecido com o incidente que matou a Princesa Diana em 1997.

Relembre a música Drowned World/Substitute for Love de 1998: