Praticando Saúde

É mais difícil emagrecer após os 30 anos? Entenda o que acontece e veja algumas dicas

279 1

Com o passar dos anos, a tendência é a diminuição do gasto de energia e, com isso, o acúmulo de gordura corporal. (Foto: Ilustrativa/Divulgação)

“Estou com 30 anos e percebi que está mais difícil emagrecer. Quando eu era mais nova, era mais fácil perder uns quilinhos”. Essa frase é bastante comum, principalmente entre as mulheres. E não é a toa. Essa dificuldade realmente existe, conforme explica Yohanne Almeida, nutricionista da Clínica Evangelista Torquato, em Fortaleza. Segundo ela, relatos como este podem estar associados com aspectos metabólicos. “A partir dos 30 anos de idade, o organismo começa a apresentar diminuição da taxa metabólica basal, o que significa que ela passa a gastar naturalmente menos energia do que antes, mesmo estando em repouso”.

Como com o passar dos anos, a tendência ao sedentarismo aumenta, a dificuldade em eliminar os indesejáveis quilinhos a mais é ainda menor. “Quando associado à diminuição da prática de atividade física, geralmente presente neste período, o quadro se complica mais ainda. As pessoas continuam comendo as mesmas coisas/quantidades mas o corpo necessita/gasta menos energia, o que gera um balanço negativo promotor do acúmulo de peso.”

Dra. Yohanne Almeida – Nutricionista da Clínica Evangelista Torquato

Nesta fase da nossa vida, ainda temos outros fatores como o aumento da carga de trabalho, estresse diário e piora do
padrão alimentar e alterações hormonais que, se não tratadas, podem gerar quadros de inflamação e descompensação de boas bioquímicas que geram ganho de gordura e perda de massa muscular. Se nosso metabolismo fica menos eficiente com o passar dos anos, a alimentação deve ser reajustada e emagrecer tende a exigir um foco ainda maior. “Estratégias nutricionais específicas são fundamentais para acelerar este metabolismo lentificado ou para gerar balanço energético positivo (consumir menos calorias do que você gasta)”, destaca a nutricionista.

O que fazer?

O primeiro passo é ter consciência de que o corpo, com o passar dos anos, vai mudando e exigindo outros cuidados. Com o organismo não é diferente. Ter uma alimentação balanceada e praticar exercícios físicos é fundamental durante toda a vida, mas cada fase requer uma atenção diferente. Diante da certeza de que o corpo tende a gastar menos energia, o ideal é que se procure um profissional para uma avaliação nutricional. Só ele entenderá melhor as necessidades do seu corpo.

Melhore sua alimentação

Melhorar a qualidade alimentar com maior suporte de vitaminas e minerais (provenientes de mais frutas, verduras e legumes) ajuda a fornecer substratos para o metabolismo funcionar corretamente.’corretamente. “Com o metabolismo elevado não tendemos ao acúmulo de gordura. Minimizar a carga de toxinas ingeridas via alimentação (agrotóxicos, metais pesados como alumínio e chumbo, bisfenol A, bisfenol E, etc) provenientes de pesticidas e plásticos/latas auxilia a capacidade destoxificante do corpo, deixando-o mais saudável e menos inflamado. O que ajuda a evitar acúmulo de peso e
gorduras. Diminuir os alimentos ultraprocessados (industrializados com muitos aditivos alimentares: conservantes, estabilizantes, corantes, etc) também ajuda nessa capacidade destoxificante”, explica Yohanne.

 

___

Dra. Yohanne Almeida – Nutricionista
Clínica Evangelista Torquato
Endereço: Avenida Senador Virgílio Távora, 2225 – Dionísio Torres.
Mais informações: (85) 3031.6060 /  (85) 4042.9732

 

 

Recomendado para você