Radar do Comércio

Pesquisa aponta queda no endividamento do fortalezense em setembro

Com queda de 3,3% pontos, a taxa foi menor que a do mês anterior e a do mesmo período de 2016. Proporção de consumidores endividados, porém, subiu 4,1 pontos percentuais

Realizada pelo Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento do Ceará (IPDC), a Pesquisa do
Endividamento do Consumidor de Fortaleza, de outubro de 2017, apontou queda de 3,3
pontos percentuais quando comparado ao mês de setembro último (66,4), marcando 63,1%. A taxa de endividamento também foi menor que o índice do mesmo mês do ano passado (66,2). Entretanto, a proporção de consumidores endividados subiu 4,1 pontos percentuais.

Foto: Shutterstock /Wutzkohphoto

Segundo o levantamento, a maior parte dos endividados são homens (23,8%), com idade entre 24 e 34 anos (26,3%) e renda familiar abaixo de cinco salários mínimos (24,5%). As principais dívidas são com cartão de crédito (81,5%), financiamento bancário (17,9%), seguido por carnês e crediários (9,2%) e empréstimos pessoais (8,2%). Entre os itens de comprometimento da renda estão gastos com alimentação (53,8%), eletroeletrônicos (35%), despesas de educação e saúde (34,8%) e artigos de vestuário (32,0%). De acordo com o estudo, o valor médio dos gastos é de R$ 1.539.

Já a pesquisa do Índice de Confiança do Consumidor de Fortaleza, também realizada pelo IPDC, revelou que 52,8% dos fortalezenses acreditam ter situação financeira melhor ou muito melhor que a do mesmo período do ano anterior. Em relação à situação econômica futura, 67,9% dos consumidores da Capital acreditam que daqui um ano vai estar melhor.

Conheça mais sobre o Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento do Ceará (IPDC).

Recomendado para você