Radar do Comércio

Empresários do Comércio seguem confiantes com o cenário econômico

O Índice de Confiança do Empresário do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Ceará apresenta crescimento dos Índices de Situação Presente e Situação Futura

Foto: Aurélio Alves/Especial para O POVO

As perspectivas dos empresários do comércio para o futuro seguem positivas. O resultado foi apresentado no Índice de Situação Futura (ISF), parte do Índice de Confiança do Empresário do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Ceará (Icec) do bimestre março/abril. O último ISF passou dos 133,5 pontos para 136,0 pontos, aumento de 1,8%. Os empresários acreditam na melhoria das condições de suas empresas, com 96,8% dos entrevistados esperando momentos melhores nos próximos seis meses e 98,3%, antevendo crescimento das vendas.

Como um todo, o Icec teve leve queda de -1,2% no sentimento geral de confiança dos empresários, com o índice passando de 105,9 pontos, no bimestre passado, para 104,7 pontos na sondagem mais recente. O levantamento é realizado através do Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento do Ceará (IPDC).

Já o componente Índice de Situação Presente (ISP) teve crescimento de +2,2%, saindo de 65,9 pontos no bimestre janeiro/fevereiro para 67,3 pontos neste período. O índice permanece no campo que indica pessimismo (abaixo dos 100 pontos), influenciado pelas condições da economia nacional no último ano, apesar dos empresários afirmarem que percebem melhoras em suas empresas, ou seja, a recuperação está em curso.
O que pesou para a queda do índice geral de confiança foi a intenção de investimentos, medida pelo Índice de Investimentos das Empresas, que caiu -8,2% no bimestre, alcançando 100,3 pontos. Mesmo assim, 58,1% dos entrevistados relataram intenção de contratar novos funcionários nos próximos seis meses, mas a maioria não espera crescimento dos estoques.

Sobre a pesquisa
O Índice de Confiança do Empresário (ICEC) é indicador antecedente, apurado exclusivamente entre os tomadores de decisão das empresas do Comércio de Bens, Serviços e Turismo, cujo objetivo é detectar as tendências das ações empresariais do setor do ponto de vista do empresário. Ele pode ser dividido em três indicadores; Índice de Situação Presente (ISP) Presente, Índice das Expectativas Futuras (IEF) e Índice Geral (ICEC).

Índice atual: diz respeito às condições atuais da economia brasileira, setor de atividade e da empresa em um prazo de até́ trinta dias.
Índice Futuro: calculado com base na opinião dos empresários no que concerne as expectativas em relação ao setor de atividade e da empresa em um horizonte temporal de onze meses (com exceção dos próximos trinta dias).
Índice Geral: é o indicador antecedente das variações na demanda agregada da economia. É um valor ponderado entre o Índice Atual e o Índice Futuro.