Radar do Comércio

Como definir o atual cenário gastronômico nacional?

/radardocomercio/2018/04/17/como-definir-o-atual-cenario-gastronomico-nacional/
262 Seja o primeiro a comentar

Cardápios e cartas de bebidas não são mais os mesmos. Na última década, a gastronomia passou por uma modernização e reinventa a maneira de consumir comidas e bebidas


Foto: Camila de Almeida/O POVO

Neste cenário, segundo especialista, a capacitação é fundamental
Em entrevista ao jornal O POVO em 2014, a chef Roberta Sudbrack defendeu que ingredientes como quiabo, maxixe, chuchu e abóbora poderiam, sim, fazer parte da Alta Gastronomia. A afirmação da carioca, ex-chef do Palácio do Planalto e proprietária do restaurante homônimo (2005-2012), eleita em 2015 a melhor chef mulher da América Latina pelo 50 Best, é pertinente e vai ao encontro do panorama gastronômico brasileiro traçado nos últimos anos.

“Na realidade, o que estamos vivendo no cenário gastronômico nacional não foi uma reinvenção. Para explicar esse fenômeno, é necessário considerar o aumento da profissionalização do mercado e do acesso do público a novas formas de consumir comida”, explica Ivan Prado, graduado pelo Senac-SP e consultor de Gastronomia do Senac-CE.

Ivan explica que, cada vez mais, os brasileiros têm tido acesso a referências locais, nacionais e internacionais e que o grande processo de disseminação de conteúdo por meio das redes sociais contribui para essa difusão de culturas gastronômicas. “A experiência da gastronomia é ampla e abrange todos os elementos que a tornam única: do atendimento ao cliente, ao design do prato, passando pela ambientação do local, por exemplo”, diz.

A importância da profissionalização
Segundo o consultor, a profissionalização na área gastronômica é essencial para o acompanhamento dessa evolução. “A globalização trouxe de maneira mais rápida novos consumos e maneiras de produzir. É necessário que o profissional tenha conhecimento consolidado de como executar as técnicas disseminadas”, defende.

Ivan acrescenta que nos cursos oferecidos pelo Senac-CE a regionalização acontece por meio da valorização de ingredientes locais e do entendimento da cultura alimentar. “O Senac faz essa leitura do mercado. Por outro lado, entendemos que nosso papel passa não só pela qualificação profissional, e sim no despertar da criatividade e da busca pelo aperfeiçoamento do aluno”, defende. Conheça os cursos do Senac-CE na área de gastronomia em cursos.ce.senac.br/curso/gastronomia.

Recomendado para você