Radar do Comércio

Empreendedorismo: guias auxiliam a conhecer o mercado

Foto: RawPixel/Pixabay

Entrar no mundo de negócios exige a busca de conhecimento setorial com antecedência. Saiba como obter informações e aprender sobre empreendedorismo de maneira prática

Buscar informações acessíveis na área de empreendedorismo pode não ser tarefa fácil. Assuntos relacionados a finanças, negócios e gestão podem conter uma linguagem não tão familiar aos empreendedores. Com foco nisso, a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Ceará (Fecomércio/CE), em parceria com o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Estado do Ceará (Sebrae/CE), criou o projeto Fortalecimento Setorial do Comércio, que tem entre outros objetivos produzir um “Guia de Orientação Empresarial”.

De acordo com Rejane Gomes, coordenadora de Projetos e Serviços da Fecomércio, o projeto foi desenvolvido para micro e pequenas empresas representadas por seus respectivos Sindicatos, com o objetivo de colaborar com o desenvolvimento e a eficiência na gestão destas empresas. “Neste ano, realizaremos a quarta fase do Projeto. Anualmente são escolhidos seis segmentos distintos.

Até 2018, foram contempladas as empresas representadas por 18 Sindicatos, de diferentes setores do comércio de bens, serviços e turismo do Ceará, que fazem parte da base da Federação. Durante o Projeto, serão produzidos diagnósticos dos segmentos envolvidos nesta fase, com dados gerados através de pesquisa realizada pelo Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento do Ceará – IPDC, para que o empreendedor compreenda melhor o segmento no qual ele está inserido ou que deseja empreender”, pontua.

Rejane informa que o Guia orienta o empreendedor a compreender melhor o mercado, a formalização da empresa, elaboração de plano de negócios, desenvolvimento da gestão com excelência e como buscar apoio do Sistema Fecomércio e do Sindicato que o representa. “Após intenso estudo de cada segmento, pesquisa de campo, oficinas de apoio, e consultoria específica de cada setor, o Guia é o produto final desenvolvido para as empresas de cada segmento”, explica. A coordenadora fala que no final de cada ano, a entrega é feita aos sindicatos para que estes disponibilizem aos interessados os Guias de Orientação Empresarial e que a versão digitalizada pode ser acessada no site da Fecomércio-CE, em www.fecomercio-ce.com.br.

Caminho acessível
Desenvolvido no estilo passo a passo, a coordenadora diz que o conteúdo do Guia é simples, porém completo, e este contém informações relevantes que vão desde os benefícios da formalização da empresa, até a promoção da competitividade setorial e o desenvolvimento e a eficiência na gestão da empresa para deixá-la saudável e sustentável no mercado. “Existe toda uma orientação sobre o registro empresarial, o roteiro de um plano de negócios, sobre o capital de giro e o gerenciamento deste capital, fluxo de caixa e etc.” Ela observa que, em seguida, o empreendedor conseguirá visualizar de forma ampla tudo que envolve e diz respeito ao seu negócio.

Sobre a vantagem do Guia, Rejane aponta sua acessibilidade. “O Guia é muito importante para quem vai iniciar um empreendimento, porque possui linguagem e escrita acessíveis, simples, de tal maneira que todo empreendedor possa compreender. Por fim, o atual e futuro gestor das empresas terá um caminho facilitado e a Federação do Comércio do Ceará, estará colaborando com o processo de gestão das empresas, para que estas se desenvolvam e ofereçam ao mercado produtos e serviços com qualidade”, finaliza.

O Sindicato dos Lojistas de fortaleza (Sindilojas) foi um dos seis sindicatos contemplados nesta fase do projeto e que receberam os Guias de Orientação Empresarial para serem disponibilizados às empresas de sua base, além de fazerem parte do processo de avaliação para o desenvolvimento do Guia.

Cid Alves, presidente do Sindilojas fala da importância do Guia para o segmento. “O Sindilojas é o maior sindicato filiado à Fecomércio. A nossa base é bastante eclética, abrangemos desde o vendedor de confecções de calçados até o grande e megaempresário, aquele que gera dois mil empregos diretos. O que levamos para o Guia é que com coragem todos podem crescer e se estabelecer, esse foi o ponto básico que a gente levou da nossa experiência.”

Obter essas informações faz com que empresas e empreendedores se movimentem. “Eles recebem uma injeção de ânimo e se arriscam de forma moderada, com um nível de risco avaliado com antecedência para obter sucesso, esse é o objetivo do Guia”, afirma Cid. Ele aponta que muitos empreendedores iniciam uma gestão na zona de conforto sem entender que toda atividade partilha de riscos. “Eles adquirirem uma mercadoria achando que vai vender em x dias e ela não vende, que ela tem margem de lucro x e não tem. O Guia ajuda nessas situações. Isso acontece em toda atividade produtiva e no comércio não é diferente”, pontua.

De acordo com Alves, o setor lojista e as atividades comerciais de bens e serviços são as que geram mais empregos e consequentemente colhem mais impostos. “É preciso que elas cresçam, esse crescimento se dá com a vontade individual de cada cidadão em se estabelecer, montar sua loja, seu mercadinho, qualquer atividade no setor produtivo para gerar emprego e isso é mais importante para a economia de qualquer município e estado, a geração de empregos”, finaliza.

Serviço
Guias de Orientação Empresarial disponíveis para download

Recomendado para você