Repórter Entre Linhas

James Gunn é demitido de “Guardiões da Galáxia 3” após tweets sobre pedofilia e estupro

O cineasta estadunidense James Gunn foi demitido de “Guardiões da Galáxia 3“, conforme a Variety. Uma série de tweets antigos com teor ofensivo, relacionados a pedofilia e estupro, foram resgatados e expostos na Internet. Anúncio foi feito pela Disney na Comic-Con, o maior evento de cultura pop do mundo.

“As atitudes e declarações ofensivas descobertas no Twitter de James Gunn são indefensáveis e inconsistentes com nossos valores, e danificaram nossa relação com ele”, disse o diretor da Walt Disney Studios, Alan Horn. Os tweets foram publicados entre 2008 e 2011.

Após ser confrontado por seguidores, Gunn se retratou na rede social. “No passado, eu me desculpei pelo meu humor ofensivo, que machucou pessoas. Eu sinto muito e, honestamente, peço desculpas”. Ele continuou dizendo que, apesar das “piadas”, como ele classificou as mensagens ofensivas, não estava praticando o que escrevia.

Gunn faria uma participação no painel da Sony/Marvel nesta sexta-feira, na Comic Con. Estimava-se que ele poderia anunciar alguma relação dos filmes da Sony (como “Venom”) com o Universo Cinematográfico da Marvel.

O cineasta dirigiu os dois filmes da franquia “Guardiões da Galáxia”, lançados em 2014 e 2017, sendo responsável por colocar o grupo de heróis no primeiro escalão da Marvel. Os dois primeiros filmes arrecadaram US$ 1.6 bilhão mundialmente.

Guardiões da Galáxia 3” está previsto para estrear em 2020, mas a Disney ainda não anunciou um substituto para comandar a franquia.

Recomendado para você